Twitter/Eduardo Bolsonaro
Twitter/Eduardo Bolsonaro

Bolsonaro coloca dreno e evolui sem dor, diz novo boletim médico

Candidato do PSL nas eleições presidenciais de 2018 teve febre leve e, após tomografia de tórax e abdômen, passou por uma drenagem 'de pequena coleção de líquido ao lado do intestino'

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

20 de setembro de 2018 | 18h24

O candidato do PSL à Presidência da República nas eleições 2018Jair Bolsonaro, internado no Hospital Albert Einstein, apresentou um quadro de febre com temperatura de 37,7 ºC, informa boletim médico divulgado no início da noite desta quinta, 20, pela instituição. Após tomografia de tórax e abdome, o presidenciável teve de passar por uma drenagem de "pequena coleção de líquido ao lado do intestino".

O comunicado atesta que Bolsonaro "está com dreno no local e evolui sem dor". Os médicos informam ainda que ele continua apresentando "boa evolução clínica e sem disfunções orgânicas". O candidato nas eleições 2018 segue recebendo alimentação pela veia e dieta líquida por via oral "com boa aceitação".

Nessa quarta-feira, 19, Bolsonaro começou a se alimentar por via oral com líquidos. A alimentação oral tinha sido interrompida depois de o paciente passar por uma cirurgia de emergência na semana passada

Bolsonaro, que levou uma facada em um evento de campanha em Juiz de Fora no dia 6, segue internado na Unidade de Terapia Semi-intensiva do hospital desde o dia 7 de setembro. 

Confira a íntegra do boletim médico divulgado pelo hospital Albert Einstein:

São Paulo, 20 de setembro de 2018,

O candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, permanece internado na Unidade de Terapia Semi-Intensiva do Hospital Israelita Albert Einstein.

O paciente apresenta boa evolução clínica e sem disfunções orgânicas. Devido à elevação da temperatura (37,7 °C), foi realizada uma tomografia computadorizada de tórax e abdômen que evidenciou pequena coleção de líquido ao lado do intestino.

Foi submetido a uma drenagem dessa coleção guiada por imagem, sem intercorrências. Está com dreno no local e evolui sem dor.

Continua recebendo dieta líquida por via oral com boa aceitação associada à nutrição parenteral (endovenosa).

Médicos Responsáveis:

Dr. Antônio Luiz Macedo, cirurgião

Dr. Leandro Echenique, clínico e cardiologista

Diretor Superintendente:

Dr. Miguel Cendoroglo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.