Base pró-Dilma comandará 99% do Rio

Prefeituras conquistadas por aliados do governo somam quase todo o eleitorado fluminense; só o PMDB governará 55% dos votantes

DANIEL BRAMATTI, O Estado de S.Paulo

08 de novembro de 2012 | 02h01

Os partidos da base de apoio à presidente Dilma Rousseff vão governar 99% do eleitorado dos municípios do Rio de Janeiro a partir de 2013, fato que transformará o Estado comandado pelo peemedebista Sérgio Cabral no mais governista do Brasil.

O triunfo do PMDB na capital, onde Eduardo Paes foi reeleito, e em grandes municípios da Baixada Fluminense, como Duque de Caxias e Nova Iguaçu, fará com que o partido governe a maioria absoluta (55%) do eleitorado do Rio.

Pouco mais de 1% do eleitorado ficará sob o comando de três partidos de oposição: PSDB (0,78%), DEM (0,37%) e PPS (0,16%). O restante será pulverizado entre as demais legendas governistas, com destaque para o PR (10%), PT (7%) e PDT (5%).

O encolhimento da oposição foi significativo: em 2008, os mesmos PSDB, DEM e PPS elegeram prefeitos de cidades que comportavam 10% do eleitorado fluminense.

O mapa eleitoral do Rio, com um PMDB forte e uma oposição praticamente desaparecida, deixou Cabral na posição de aliado-chave de Dilma e reforçou seu cacife para 2014. Eduardo Paes, eleito no 1.º turno com a maior votação do País, chegou a lançar o governador como vice em uma eventual chapa de reeleição da presidente, no lugar de Michel Temer.

A iniciativa causou mal-estar na cúpula peemedebista. O próprio Cabral teve de vir a público para afirmar que não postula o cargo. Em um almoço com Temer, o governador e o prefeito eleito acabaram defendendo a reedição da chapa presidencial que venceu em 2010.

Destaque. O PMDB não é o único partido a dominar mais da metade do eleitorado de um Estado. Os demais casos, porém, ocorreram em unidades da Federação com população reduzida e muito concentrada na capital. O PT, por exemplo, conquistou 57% do eleitorado do Acre, mas venceu apenas em Rio Branco e outras quatro prefeituras. No Amazonas, o PSDB venceu apenas na capital, e ficou com 54% do eleitorado estadual.

Além do Rio de Janeiro, a oposição praticamente desapareceu também no Ceará, onde vai governar apenas 4% dos eleitores - índice que chegou a 20% na eleição anterior. O grande vencedor no Estado foi o PSB do governador Cid Gomes. Foram 53 vitórias, uma delas em Fortaleza, o que deu ao partido o comando de 42% do eleitorado cearense.

Domínio. No agregado base versus oposição, os aliados de Dilma conquistaram a maioria absoluta dos eleitores em 23 dos 26 Estados. As exceções são todas da Região Norte: Amazonas, Pará e Amapá.

A oposição ficou abaixo de sua média nacional, de 20% do eleitorado, em Estados como Rio Grande do Sul (12%), Santa Catarina (12%), Maranhão (12%), Pernambuco (15%) e Goiás (15%). Em dois Estados no Nordeste o resultado foi superior ao dobro da média: Alagoas e Sergipe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.