Barbosa limita direitos, dizem advogados

Advogados de sete réus do mensalão acusam o presidente do Supremo, Joaquim Barbosa, de sonegar ao plenário da Corte os pedidos de mais prazo para a defesa. Barbosa tem negado todos eles sozinho, sem submetê-los aos colegas. Os advogados afirmam que o STF, "por razões de conveniência política", limitou os direitos dos réus. Trata-se, dizem, de "uma mancha historicamente indelével" ao processo. As afirmações estão no recurso protocolado por nove advogados, incluindo os ex-ministros da Justiça Márcio Thomaz Bastos e José Carlos Dias. E é uma reação às decisões de Barbosa de não levar a julgamento do plenário os pedidos por mais prazo para recorrer da condenação ou ao menos a divulgação dos votos antes da publicação do acórdão do processo. Em uma das decisões, Barbosa disse que os advogados querem "manipular" os prazos do processo. "Suprimir deliberadamente o tempo útil de defesa é uma perversão do conteúdo substantivo do devido processo legal", afirmam os advogados. / F.R.

O Estado de S.Paulo

13 Abril 2013 | 02h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.