Barbosa diz não ter 'interesse nenhum' em resultado do caso

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, disse ontem não estar interessado no resultado do julgamento dos recursos do mensalão. "Não tenho interesse nenhum. Der o que der, para mim...", afirmou, gesticulando como se estivesse indiferente ao resultado. A declaração foi dada após ele ser questionado por repórteres se os petistas envolvidos no caso tinham chances reais de reverter as condenações pelo crime de formação de quadrilha.

Mariângela Gallucci / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

21 de fevereiro de 2014 | 03h18

Na sequência, questionado sobre os rumores de que deixará o tribunal para se candidatar a algum cargo nas eleições de outubro, ele respondeu que as especulações não passam de "conversa". "Não, não", disse. "Isso é conversa", completou.

Principal personagem do julgamento do processo do mensalão, Barbosa, que relatou o caso, é frequentemente citado como possível candidato em 2014.

O PSB do governador de Pernambuco e provável candidato a presidente, Eduardo Campos, tem interesse em lançá-lo na disputa por uma cadeira no Senado pelo Rio. O elo entre Campos e Barbosa é a ex-corregedora do Conselho Nacional de Justiça, Eliana Calmon. Campos nega que tenha procurado Babosa para tratar de eleição.

Em nota divulgada no fim de semana, a assessoria de comunicação do STF disse que Barbosa não é candidato a presidente nas eleições de 2014. A nota oficial não fez referência a disputas de outros cargos eletivos.

A assessoria confirmou, porém, que ele não tem a intenção de permanecer no STF até os 70 anos, quando teria de se aposentar compulsoriamente. "No que se refere ao seu futuro após deixar o tribunal, o ministro reserva-se o direito de tomar as decisões que julgar mais adequadas para a sua vida na ocasião oportuna." Por ser magistrado, Barbosa tem até abril para deixar o cargo e se filiar a um partido para disputar as eleições. O prazo para outros pretendentes acabou em outubro passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.