Bancadas do PT e do PSDB devem encolher na Assembléia de SP

Se o cenário se concretizar, a bancada do PT encolherá de 20 para 19 deputados e a do PSDB, de 21 para 20

Carolina Ruhman, da Agência Estado

29 de outubro de 2008 | 17h52

Sete deputados estaduais paulistas foram eleitos prefeito nas eleições municipais deste ano. Ao assumirem seus novos cargos, eles abrirão mão de seus assentos na Assembléia Legislativa para os suplentes. Com a dança das cadeiras, a bancada do PT deve perder um deputado para o PCdoB e a do PSDB, um parlamentar para o DEM. Entretanto, as mudanças não devem mexer na balança de poder da Casa, dada a estrutura de alianças PSDB/DEM e PT/PCdoB. Se o cenário se concretizar, a bancada do PT encolherá de 20 para 19 deputados e a do PSDB, de 21 para 20. Já a do DEM aumenta de 13 para 14 parlamentares. E o PCdoB, que não tem nenhum representante na Assembléia, passa a ter seu primeiro deputado estadual. O assento do deputado Sebastião Almeida, eleito pelo PT em Guarulhos, será ocupado por Pedro Antonio Bigardi, do PCdoB. Já a vaga do tucano Antonio Carlos, eleito para a prefeitura de Caraguatatuba, deve ser assumida por Gilson de Souza, do DEM. Souza exerce atualmente o mandato de Sidney Beraldo (PSDB), atual secretário estadual de Gestão Pública. Como suplente de Beraldo, deve assumir um do nome a coligação PSDB/DEM, mas a definição depende de eventuais mudanças nas secretarias municipais e estaduais. No caso de Beraldo continuar secretário, o próximo suplente da lista da coligação é o tucano Helio Nishimoto. O caso de Marco Bertaiolli, prefeito eleito do DEM de Mogi das Cruzes, é semelhante. O suplente para sua vaga seria Rodrigo Garcia, do DEM. Entretanto, Garcia exerce o cargo de secretário municipal de Desburocratização na gestão do prefeito reeleito Gilberto Kassab (DEM), que ainda não definiu se haverá mudanças na administração. No caso, o nome seguinte na lista de suplentes da aliança é o de José Antonio Caldini Crespo, do DEM. Os demais prefeitos eleitos deverão repassar suas cadeiras a membros de seus partidos. Valdomiro Lopes, do PSB, eleito em São José do Rio Preto, cederá seu lugar para Marco Porta. A cadeira de Cido Sério, do PT, prefeito eleito de Araçatuba, será assumida por Fausto Figueira. Dárcy Vera, eleita pelo DEM prefeita de Ribeirão Preto, passará sua vaga para Eli Corrêa Filho. E a vaga de Mário Reali, eleito prefeito de Diadema pelo PT, será assumida por Beth Sahão. Os sete deputados estaduais eleitos devem abrir mão de seus mandatos na Assembléia Legislativa para assumir no dia 1º de janeiro de 2009 as respectivas prefeituras. Todos os suplentes serão convocados através de um ato do presidente da Assembléia, deputado Vaz de Lima (PSDB), que será publicado no Diário Oficial.

Tudo o que sabemos sobre:
PTPMDBeleições 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.