Ayres Britto: alto índice de abstenção é 'preocupante'

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Carlos Ayres Britto, admitiu hoje que ficou preocupado com a quantidade de eleitores que faltaram no segundo turno da eleição municipal, principalmente no Rio de Janeiro. De acordo com informações da Corte, o índice nacional de abstenção ontem foi de 18,09%. Na capital fluminense, em São Luís (MA) e em Anápolis (GO) o porcentual de faltantes ultrapassou os 20%. "Eu digo que é preocupante, que o índice é alto", afirmou.Especificamente no Rio de Janeiro, que teve uma abstenção de 20,25%, Ayres Britto comentou o fato de o feriado do Dia dos Servidores ter sido antecipado para hoje, o que garantiu a uma parcela dos eleitores cariocas uma folga estendida. "A gente aprende com os fatos. Li que talvez a antecipação do feriado possa ter contribuído para a diminuição dos que compareceram", disse. Segundo ele, esse episódio levará a Justiça Eleitoral a refletir nas próximas eleições sobre a conveniência de se antecipar novamente a folga dos servidores.O município de São Luís foi o campeão de faltas, com 21,28% de abstenção. Em segundo lugar ficou Anápolis, com 21,18%. Apesar dos altos índices, Ayres Britto afirmou que historicamente o porcentual médio de faltas em eleições tem sido de 17%. Por esse ângulo, ele avaliou que o segundo turno de 2008 "não foi melhor nem pior do que as outras eleições".CriançasOutro fato que merecerá reflexão da Justiça Eleitoral, segundo ele, será discutir se os eleitores podem votar acompanhados de crianças. Até o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o prefeito reeleito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), aderiram à moda. "Vamos ter de examinar esse aspecto", afirmou Ayres Britto. No entanto, o ministro considera, particularmente, que a prática pode ter um lado positivo, de incentivar as crianças a exercerem a cidadania.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.