Ator diz ter sido preso por erro em ato em SP

Um dos rapazes detidos pela Polícia Militar durante a manifestação contra a corrupção na Avenida Paulista, anteontem, foi solto após, segundo ele, ter sido injustamente agredido por policiais. Pedro Urizzi, de 25 anos, foi liberado após depôr no 8.º DP (Brás-Belém). No boletim de ocorrência, Urizzi é qualificado como autor de desacato. A PM informou ter sido coerente na atuação e que apurará qualquer eventual abuso. O caso repercutiu na internet: no Facebook, teve mais de 5 mil compartilhamentos.

O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2012 | 03h07

A caminho de um jantar, Urizzi passou pela Paulista na hora do ato. Quando estourou o tumulto entre manifestantes e a polícia, o rapaz disse que tentou impedir que um policial lançasse bombas num grupo com crianças. "Eu gritei: 'Não joga bomba porque tem criança!'. Aí, um PM me abordou, pela nuca", relatou. "Até ali, eles mal tinham pedido minha identificação."

Depois de registrada a ocorrência, Urizzi foi levado ao Instituto Médico Legal para passar por exame de corpo de delito, com escoriações e uma lesão no pulso. O ator disse que vai processar a corporação, embora saiba o nome do PM que o agrediu. "Meus direitos só foram respeitados quando a Polícia Civil assumiu o caso", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.