Ato do Psol cobra CPIs do cartel de trens em SP

Protesto pede apurações das denúncias na Assembleia e Congresso

RICARDO CHAPOLA, O Estado de S.Paulo

17 Dezembro 2013 | 02h07

Cerca de 20 militantes do PSOL promoveram ontem um protesto em frente à sede do Metrô para cobrar investigações na Assembleia Legislativa de São Paulo e na Câmara dos Deputados sobre a formação de cartel no setor metroferroviário paulista entre 1998 e 2008 - durante governos do PSDB.

Os manifestantes lavaram a calçada em frente ao prédio, no centro. O cartel dos trens é alvo de investigações nos âmbitos criminal, cível e administrativo.

As investigações em curso envolvem ex-dirigentes do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), ex-diretores de empresas multinacionais e políticos.

Enquanto alguns militantes do PSOL varriam com água e sabão a calçada da frente do prédio, outros seguravam faixas com os dizeres "Exigimos apuração do trensalão tucano".

A manifestação contou com a presença de três parlamentares da legenda: o deputado estadual Carlos Giannazi, o deputado federal Ivan Valente e o vereador Toninho Vespoli.

"O que nós queremos mesmo é uma lavagem ética no governo (do Estado)", disse Vespoli durante o protesto, que durou menos de uma hora. O governor Geraldo Alckmin tem afirmado ser o principal interessado nas investigações, "doa a quem doer".

A Câmara Municipal de São Paulo é a única Casa legislativa com uma comissão para apurar o caso. Criada com outro propósito, a CPI dos Transportes colocou o cartel na pauta depois que o tema tomou o noticiário. A comissão é presidida pelo PT.

Mais conteúdo sobre:
cartel de trens

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.