Até 19 de dezembro, TSE espera julgar 2 mil recursos

Passada a eleição, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ainda tem de julgar cerca de 2 mil recursos envolvendo candidatos que disputaram cargos de prefeito e vereador. A presidente do TSE, Cármen Lúcia Antunes Rocha, afirmou ontem que todos os processos serão julgados até 19 de dezembro, data-limite para a diplomação dos eleitos no mês passado, tanto em 1.º quanto em 2.º turno.

BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

07 de novembro de 2012 | 02h08

A presidente do TSE fez a previsão durante entrevista concedida a jornalistas após uma reunião de avaliação das eleições. Participaram do encontro, em Brasília, presidentes dos Tribunais Regionais Eleitorais (TRE) em todo o País.

Conforme os dados divulgados por Cármen Lúcia, 8.383 processos relacionados às eleições municipais deste ano chegaram ao TSE, dos quais 7.703 tratavam de registros de candidaturas. Até agora foram julgados 5.433 processos.

Depois do 1.º turno, o tribunal teve de julgar processos para definir se haveria ou não 2.º turno em algumas cidades. Uma dessas decisões garantiu a Rubens Bomtempo (PSB) o direito de disputar o 2.º turno em Petrópolis (RJ) contra Bernardo Rossi (PMDB). Antes, o TRE do Rio havia recusado o registro da candidatura de Bomtempo, alegando que, no passado, quando prefeito da cidade, ele teve as contas rejeitadas. O candidato do PSB acabou ganhando a eleição.

Outro exemplo foi Osasco. A candidatura do tucano Celso Giglio foi barrada, também por ter contas da prefeitura rejeitadas. Com isso, o candidato Jorge Lapas (PT) obteve mais de 50% dos votos no 1.º turno, mas só foi declarado vencedor da eleição em 26 de outubro.

A expectativa no TSE é que não devem ocorrer mudanças significativas quando os recursos ainda pendentes forem julgados. O tribunal informou já ter identificado e julgado a maioria dos casos que poderiam influenciar no resultado das eleições. / M.G.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.