Assessor de petista é detido com R$ 180 mil

Dinheiro, em notas de R$ 100, foi apreendido em carro no qual viajava servidor do senador Wellington Dias, candidato ao governo do PI

Ricardo Della Coletta e Luciano Coelho, O Estado de S. Paulo

11 de setembro de 2014 | 23h27

Um funcionário do gabinete do senador e candidato ao governo do Piauí, Wellington Dias (PT), foi detido nesta quinta-feira com R$ 180 mil, em cédulas de R$ 100, durante uma operação da Polícia Rodoviária Federal na cidade de Barreiras, na Bahia. O carro no qual estava José Martinho Ferreira de Araújo, servidor do gabinete do senador, foi apreendido.

Wellington Dias lidera as pesquisas de intenção de voto para o governo do Piauí. O veículo em que estava seu assessor foi parado pouco depois das 11 horas em uma fiscalização de rotina. O motorista Paulo Fernando de Souza apresentou uma carteira de habilitação falsa, segundo o Boletim de Ocorrência. Os policiais fizeram uma revista no interior do carro e encontraram as notas.

De acordo com o boletim policial, o dinheiro estava embaixo do banco traseiro do veículo. Araújo disse aos policiais que era o dono da quantia, que, segundo ele, seria usada para a compra de uma propriedade rural. O servidor alegou ainda que estava em viagem para São Miguel do Fidalgo (PI).

Depósito judicial. Araújo e o condutor do automóvel foram encaminhados para a delegacia do município. O assessor foi liberado ontem mesmo após ser ouvido. “Ele (Araújo) disse que o senador não tem nada a ver com a situação. Todo esse dinheiro será apreendido e depositado judicialmente a favor da Justiça Federal”, afirmou o delegado Francisco de Sá, responsável pela investigação do caso.

De acordo com o delegado, Araújo disse também que atua como motorista do petista e apresentou um crachá de identificação do Senado. Conforme a Polícia Rodoviária Federal, a abordagem ocorreu no quilômetro 805 da BR-242, em Barreiras.

Nota. Em nota divulgada ontem, Wellington Dias disse que “não tem qualquer relação com o fato ocorrido”.

O petista afirmou também que, “no momento do fato noticiado, se encontra de férias das suas funções, estando, portanto, em viagem pessoal sem qualquer ligação com a atividade do Senado ou do próprio senador”.

A coordenação de campanha do senador ao governo do Estado foi procurada ontem, mas não atendeu nem respondeu às ligações da reportagens nem às mensagens enviadas via rede social.

Em sua conta pessoal no Facebook, Araújo informa que é natural do município de São Miguel do Fidalgo e mora em Brasília. Ele trabalharia também na Construtora JN de Oliveira, que funciona em Taguatinga, no Distrito Federal.

Tudo o que sabemos sobre:
PTWellington Diascorrupção

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.