Artistas de Hollywood dão as caras na eleição brasileira

Artistas de Hollywood dão as caras na eleição brasileira

Empresário usa influência para arrecadar apoio no Twitter de astros como a modelo Naomi Campbell e a atriz Lindsay Lohan

Mateus Coutinho, O Estado de S. Paulo

22 de outubro de 2014 | 01h25

Mensagens de apoio ao candidato à Presidência Aécio Neves (PSDB) foram divulgadas ontem no Twitter oficial da atriz americana Lindsay Lohan e da modelo britânica Naomi Campbell. Trata-se de uma ação de marketing promovida por um empresário apoiador do senador tucano.

“Eu, como cidadão e empresário, por achar que o melhor para o País é o Aécio, usei minha influência com as celebridades próximas e elas apoiaram”, disse Jairo Soares, conselheiro da empresa Hollywood Brasil, especializada em publicidade com celebridades na internet.

“Não recebi dinheiro, não liguei para partidos, apenas usei minha influência junto aos artistas”, disse o empresário. A lei eleitoral proíbe propaganda de candidatos paga na internet.

A primeira postagem de apoio a Aécio foi feita por Lindsay Lohan. “Eu apoio a candidatura à Presidência de Aécio Neves. Sua plataforma traz mudanças positivas para o Brasil”, escreveu. Mais tarde, Naomi Campbell postou em seu perfil na rede social “#AecioNeves para presidente, #vaiBrasil”, acompanhada da mesma foto do tucano usada por Lindsay.

Naomi manteve a publicação até o fim do dia, mas a atriz americana retirou a postagem. A campanha do PSDB disse desconhecer as mensagens.

Na semana passada, o ator americano Danny Glover usou a rede social para divulgar mensagem de apoio à presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição: “O Brasil é o maior país na luta contra a pobreza e, nos últimos 12 anos, se tornou exemplo para a humanidade #Dilma13”.

Marina. O apoio de celebridades a candidatos também causou repercussão durante o primeiro turno da disputa presidencial. Um dos episódios marcantes foi o do ator Mark Ruffalo, que interpreta o Hulk no filme Os Vingadores. Inicialmente ele havia gravado um vídeo de apoio à candidata do PSB, Marina Silva, mas recuou após saber do posicionamento da ex-ministra sobre casamento gay, cuja legalização apareceu com destaque no programa de governo de Marina, mas depois foi retirada.

“Eu não sou expert em política brasileira, mas eu posso dizer que os direitos das mulheres, dos gays e do meio-ambiente são todos parte de um tipo de visão de mundo do qual eu quero fazer parte. Ter uma visão de mundo que não inclui todas estas três posições torna impossível para mim apoiar um candidato em particular”, declarou o ator norte-americano na época.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesAécio NevesDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.