Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Armando Monteiro Neto é confirmado como candidato ao governo de Pernambuco

Ex-ministro do governo Dilma, petebista encabeça principal bloco de oposição a Paulo Câmara, composto por 13 partidos

Kleber Nunes, O Estado de S.Paulo

04 de agosto de 2018 | 14h53

RECIFE – O senador Armando Monteiro Neto foi confirmado, neste sábado, 4, como canditato ao governo de Pernambuco pelo PTB nas eleições 2018. Na convenção coletiva com os principais partidos da chapa de oposição, realizada em um casa de shows no Recife, os deputados federais e ex-ministros do governo Michel Temer, Mendonça Filho (DEM) e Bruno Araújo (PSDB) tiveram os nomes oficializados para a disputa pelo Senado. O vereador do Recife, Fred Ferreira (PSC) será o vice.

Com o slogan “Pronto pra mudar”, Monteiro Neto lidera 13 legendas que compõem o principal bloco de oposição ao governador Paulo Câmara, pré-candidato à reeleição pelo PSB. Esta será a segunda vez que o senador concorrerá ao Palácio do Campo das Princesas, em 2014 ele foi derrotado no primeiro turno por Câmara – herdeiro político de Eduardo Campos que morreu em um acidente aéreo durante campanha daquele ano.

“A eleição de 2014 não foi apenas para eleger um governador, mas fazer uma homenagem, aliás uma justa homenagem a um homem público que se foi precocemente, Eduardo Campos. Essa homenagem, porém, se tornou uma grande decepção com um governo cuja a marca é a omissão. Com humildade, estou preparado para mudar Pernambuco e restabelecer a autoridade (do Estado)”, afirmou Monteiro Neto.

Ex-ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior de Dilma Rousseff (PT) e ex-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Monteiro Neto disse que o "novo" na política não significa ter pessoas jovens. "É ser diferente e entender a mudança e que se governa para a maioria. Ser novo é ter um governo que cortes privilégios e combata a corrupção", declarou.

O ato político foi marcado por discursos de ex-aliados de Câmara como prefeitos e deputados estaduais que não esconderam a mágoa com o governador. “Há quatro anos eu ajudei a construir a campanha e a vitória do governador, mas hoje ele não me representa, pois governa dando as costas para o povo mais pobre quando a liderança é de outra cor partidária. Quando ele não quis fazer o hospital de Caruaru não foi a mim que ele deu as costas, foi a mais de 360 mil pessoas que moram na nossa cidade”, declarou a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB).

Com a retirada da candidatura da vereadora do Recife Marília Arraes, decidida pela Executiva do PT e ratificada pelo diretório do partido nesta sexta-feira, Monteiro Neto e Câmara devem repetir a polarização de quatro anos atrás. “Eles querem ganhar sem concorrência. Seria bom ter um leque de opções. Marília é uma mulher jovem, seria bom que estivesse nesta disputa”, disse o petebista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.