'Arco do futuro' inclui obras do passado

Pacote do petista Fernando Haddad contempla planos concebidos na gestão de Marta Suplicy e outros retomados por Gilberto Kassab

BRUNO BOGHOSSIAN, O Estado de S.Paulo

09 de setembro de 2012 | 03h07

Ao apresentar no programa eleitoral de TV seu principal plano urbanístico para São Paulo, o Arco do Futuro, o candidato do PT à Prefeitura, Fernando Haddad, mostrou como propostas obras viárias que já haviam sido prometidas por outros governantes.

Dezessete dos 19 projetos citados pelo locutor da propaganda de Haddad exibida na segunda-feira já foram anunciados nos últimos anos ou estão em fase de licitação. Boa parte das obras foi concebida na gestão petista de Marta Suplicy (2001-2004).

Haddad destacou na TV a ampliação de avenidas e a construção de corredores de ônibus que estavam previstos em projetos das últimas seis gestões da Prefeitura de São Paulo. A maior parcela dessas propostas ficou parada e foi retomada, em estágio inicial, nos anos finais do governo Gilberto Kassab (PSD) - a quem o petista faz oposição.

Na TV, Haddad apresentou o Arco do Futuro como um "projeto revolucionário", mas explicou que o plano "não parte do zero". O petista dizia, na gravação, que sua proposta pretende incorporar "obras já existentes, obras em andamento, obras futuras, e projetar obras novas".

A campanha petista informou que não tem a intenção de "assumir a paternidade das obras" e que o Arco do Futuro representa "um projeto de integração urbana muito mais amplo" do que as 19 propostas citadas na TV.

A equipe de Haddad destacou como exemplo de novas propostas a ampliação de ruas paralelas à Marginal do Tietê. Elas serviriam como eixos de apoio para o deslocamento de veículos na mesma direção da via expressa.

Em licitação. A propaganda eleitoral de Haddad citou como parte do Arco do Futuro a criação de corredores de ônibus em cinco vias da cidade: Avenida Itaquera, Avenida Aricanduva, Radial Leste, Estrada do Campo Limpo e Avenida Celso Garcia. Todos estavam previstos no projeto "São Paulo Interligado", lançado durante a gestão de Marta.

Kassab havia se comprometido a construir 66 km de vias exclusivas para ônibus quando assumiu seu segundo mandato, em 2009, mas já admitiu que não deve cumprir a meta. Em maio deste ano, a Prefeitura lançou uma licitação para construir corredores que inclui as vias prometidas por Haddad. Segundo a SPTrans, empresa que gerencia o sistema de ônibus da cidade, as obras estão "em fase de pré-qualificação das empresas".

Além disso, a Prefeitura descartou a construção do corredor da Celso Garcia, que faz parte da proposta petista. O município alega que realizou estudos que mostraram que "a região teria demanda superior à capacidade de um corredor convencional por ônibus".

As outras nove obras viárias prometidas por Haddad também já estão em fase inicial de realização, segundo a Prefeitura.

Uma delas, a construção do Viaduto Raimundo Pereira de Magalhães, foi proposta pela primeira vez pela então petista Luiza Erundina (1989-1992), segundo a equipe de Haddad. A Secretaria de Infraestrutura e Urbanismo do município informou que a elaboração do projeto funcional, que dará origem à obra, está prevista no orçamento de 2013.

O programa de Haddad na TV também citou a construção do túnel que liga a Avenida Água Espraiada à Rodovia dos Imigrantes. A obra fez parte da operação urbana lançada no governo Marta e teve seu contrato assinado na gestão Kassab.

A proposta petista também contempla o investimento de recursos municipais em projetos do metrô que já fazem parte do plano de longo prazo da empresa, como a extensão da Linha 2 até a Estação Cerro Corá. Dois projetos de Haddad nessa área seriam inéditos: a expansão da Linha 3 até a Lapa e a inclusão da Estação Pirituba na Linha 6.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.