Apuração da CGU sobre Rose deve ser concluída neste mês

Rosemary Noronha, ex-chefe de gabinete da Presidência em São Paulo, foi acusada de chefiar um esquema de venda de pareceres que tinha braços em três agências reguladoras: Transportes Aquaviários (Antaq), Aviação Civil (Anac) e de Águas (ANA).

O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2013 | 02h16

Rose, como é conhecida, indicou diretores para as duas últimas. Ela era amiga íntima do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva e, segundo a denúncia, usou essa proximidade para sugerir as nomeações dos irmãos Paulo e Rubens Vieira, aprovadas pelo Senado. Os três foram exonerados após as denúncias.

A Controladoria-Geral da União (CGU) investiga como eles usaram os cargos para obter benefícios próprios, como viagens, reforma de apartamento. O processo administrativo deve ser concluído ainda neste mês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.