Sergio Lima/AFP
Sergio Lima/AFP

Após Ibope, Eduardo Jorge vê Marina, Alckmin ou Bolsonaro no 2.º turno

Candidato a vice na chapa de Marina Silva (Rede), ele afirma que uma das vagas no segundo turno ficará com o candidato escolhido pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

Marcelo Osakabe e Luciana Collet, O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2018 | 13h03

O candidato a vice na chapa de Marina Silva (Rede), Eduardo Jorge (PV), disse nesta terça-feira, 21, que a pesquisa Ibope/Estadão/TV Globo, divulgada ontem, mostra que uma das vagas no segundo turno nas eleições 2018 já está com o candidato escolhido pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e que a ex-senadora concorre com Jair Bolsonaro (PSL) e Geraldo Alckmin (PSDB) pela vaga restante.

"São três candidatos que vão disputar entre si para chegar no segundo turno e disputar com as forças do ex-presidente Lula", disse Jorge ao Broadcast Político, após participar de um encontro promovido pela Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel). "Desconfio que Bolsonaro é o preferido de Lula, porque seria um 7 a 1. Já o Alckmin, independentemente dele, tem a rejeição do PSDB. Dificilmente, se chegasse no segundo turno, teria condições de vencê-lo. A única que tem condições de enfrentar Lula com sucesso é a Marina, pela sua história e seu programa."

Segundo Jorge, que disputou a Presidência em 2014 pelo seu partido, o PV, Ciro Gomes (PDT) não deve ter condições de chegar ao segundo turno porque "caiu na teia de Lula". "Ciro buscou sinceramente uma aliança com o PT, mas Lula o diminuiu, humilhou, o quer subordinado".

No evento, o ambientalista admitiu que o programa atual de Marina não trata sobre energia, mas que o de 2014 o faz e que o tema deve ser retomado em breve, através de um caderno específico. Ele ainda defendeu que sua chapa não vai praticar política "voluntarista ou intervencionista" para o setor. "Matemática existe. Vamos seguir um governo equilibrado para tirar o Brasil da crise", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.