Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Após expulsão de Sabará, deputados do Novo cogitam voto em Arthur do Val

Parlamentares aguardam orientação da direção nacional para manifestar apoio ao candidato do Patriota

Paula Reverbel e Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

28 de outubro de 2020 | 11h37

Como a Justiça Eleitoral indeferiu a candidatura de Filipe Sabará - recém expulso do Novo -, para a Prefeitura de São Paulo, parte dos integrantes do partido na Assembleia Legislativa de São Paulo e dos eleitos para a Câmara dos Deputados pelo Estado cogita a possibilidade de declarar individualmente voto em Arthur do Val (Patriota), conhecido como Mamãe Falei. Esses parlamentares ainda aguardam uma orientação da direção nacional sobre se esse tipo de endosso pode ser tornado público.

Uma resolução emitida pelo diretório nacional do Novo em 24 de setembro permite que filiados admitam "manifestação de voto, em caráter pessoal" a postulantes de outras siglas desde que nenhum membro do partido esteja disputando o mesmo cargo e desde que o nome apoiado compartilhe princípios da legenda. Os filiados paulistanos ainda aguardam uma orientação sobre se a autorização se aplica na disputa municipal, já que o Novo chegou a ter candidato e não tem mais.

O partido tem quatro deputados na Alesp e três representantes paulistas na Câmara.

Se autorizados a manifestar os próprios votos, os deputados estaduais e federais do Novo ainda terão que decidir se vão fazer declarações individuais de endosso a Mamãe Falei, com quem têm convergência. Assim como todos os parlamentares eleitos da sigla, Arthur do Val é contrário ao uso do Fundo Eleitoral. Todos eles reduziram por mais da metade ou zeraram os gastos com verba de gabinete. Além disso, na Alesp, Mamãe Falei se comporta igual à bancada do Novo nas principais votações.

Para Entender

Veja propostas de Arthur do Val

Confira quais são os principais pontos do plano de governo do candidato do Patriota para a Prefeitura de São Paulo nas áreas da Saúde, Educação, Emprego, Transporte, Segurança, Meio Ambiente e Habitação

Embora a afinidade política entre os parlamentares do Novo e o deputado youtuber seja quase que total, há reservas quanto ao jeito confrontador e polêmico do candidato do Patriota - que é integrante do Movimento Brasil Livre (MBL) -, característica que é apontada como um dos motivos pelo qual o deputado ainda não foi incorporado à legenda fundada pelo empresário João Amoêdo. Entre os "charmes" de Mamãe Falei está o fato de que ele é liberal tanto na economia quanto nos costumes.

A eventual declaração de voto será anunciada individualmente por cada um, possivelmente pelas redes sociais, com pouco alarde por uma questão de proteção institucional da legenda. A ideia é não confundir o eleitor ou dar a entender que é a instituição partidária quem estará apoiando o Arthur.

Entre os filiados do Novo que disputam um mandato a vereador, há quem já admita voto no youtuber. "Não vou fazer campanha publicamente, mas meu voto é para o Arthur do Val. Ele está mais alinhado com as ideias do partido e não usa Fundo Eleitoral", disse a postulante Joanna Douat. Também candidato a vereador, Luis Bucciarelli ressaltou que Arthur do Val sempre vota com a bancada do Novo na Assembleia. "Ele tem uma pauta parecida com a nossa. É liberal e não usa dinheiro público", argumentou. Outros nomes ouvidos pela reportagem também manifestaram apoio a Arthur do Val, mas evitaram dizer isso publicamente.

Para Entender

Quem é Arthur do Val? Conheça o candidato do Patriota à Prefeitura de São Paulo

‘Mamãe Falei’, como é conhecido por ser canal no youtube, tem porta-voz do Vem Pra Rua como candidata a vice nas eleições 2020

Relação de amizade

Além de afinidade política, muitos filiados do Novo e membros do MBL são amigos entre si ou já trabalharam juntos.

Uma foto tirada no Agrishow de 2019 em Ribeirão Preto e postada em abril daquele ano pelo coordenador do MBL Renato Battista, atual presidente do Patriota paulistano, mostra ele e a Mamãe Falei no evento acompanhados de seis políticos ligados ao Novo: o candidato indeferido Filipe Sabará, o ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles (que depois foi expulso do partido), os deputados estaduais Ricardo Mellão e Heni Ozi Cukier, o deputado federal Vinicius Poit e o candidato a vereador Marcelo Castro.

Castro inclusive foi chefe de gabinete do vereador Fernando Holiday (Patriota) e de Mamãe Falei. Battista já trabalhou com Heni Ozi e foi aluno dele. O deputado estadual do Novo, Sergio Victor, foi membro do MBL de Taubaté. Mellão e Arthur do Val são muito próximos.

Sem candidato

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) indeferiu a candidatura de Filipe Sabará à Prefeitura de São Paulo no último domingo, 25.  Sabará havia sido expulso do Novo por inconsistências no currículo e na declaração de patrimônio.

Para Entender

Calendário Estadão

As datas, definições partidárias, candidaturas e a cobertura especial do jornal das campanhas pelo País e nos Estados Unidos

No sábado, 24, o Novo apresentou um ofício para confirmar a renúncia da candidata à vice na chapa de Sabará, a economista Maria Helena. No mesmo documento, o partido informou que não vai indicar um novo candidato a vice, solicitando a exclusão da chapa do processo eleitoral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.