Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Após encontro, Leonardo Boff diz que Lula continua 'candidatíssimo'

Teólogo passou meia hora com o ex-presidente na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba

Marcelo Osakabe, O Estado de S.Paulo

07 Maio 2018 | 17h24

Após conversa com o ex-presidente ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso pela Operação Lava Jato, o teólogo Leonardo Boff afirmou que Lula pediu para que passasse o recado de que continua "candidatíssimo". Boff tentou visitar o ex-presidente em 19 de abril, mas o pedido foi negado. 

"Diga aos jornalistas que sou candidatíssimo", disse o ex-presidente a Boff, que é amigo pessoal de longa data do petista e se reuniu com ele por meia hora na cela especial da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba.

Se ganhar, vou não só repetir as aquelas políticas sociais que fiz, mas fazer com que sejam políticas de Estado, que entrem no Orçamento, que sejam o centro do poder econômico e político seja orientado para aqueles que sempre foram excluídos",

+ Moro retoma audiências e Okamotto diz que Lula queria comprar sítio de Atibaia para Marisa

Na semana passada, Lula foi autorizado a receber "assistência espiritual" às segundas-feiras, além de visitas de dois "amigos" às quintas. Em 19 de abril, Boff tentou visitar o ex-presidente, mas foi impedido. 

Após o encontro, Boff disse que Lula está "muito bem" e com entusiasmo para se manter na luta. Para ele, o ex-presidente "tem uma indignação justa, de quem sofre por causa de falsificações, distorções e mentiras com o objetivo de liquidar a candidatura dele e enfraquecer o mais possível o PT". 

Condenado a 12 anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está preso em Curitiba. Apesar disso, o PT sustenta que o ex-presidente é o pré-candidato do partido ao Planalto.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.