Após eleições, Lula volta para 'clima amistoso' na Bahia

Quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva desembarcar em Salvador (BA) hoje de manhã para a 11ª Cúpula Brasil-Portugal vai encontrar um clima amistoso que não se vê há meses na capital baiana. Mais especificamente desde sua última visita à cidade no fim de julho. Desde então o presidente cumpriu a promessa de não aparecer para não interferir na eleição. E a relação entre o PT e o PMDB, os dois maiores grupos apoiadores do governo federal na Bahia, piorou progressivamente, por causa da eleição na capital baiana.Apesar dos fortes ataques promovidos entre petistas e peemedebistas e do iminente afastamento de suas lideranças, por causa da eleição estadual em 2010, as duas partes concordam que quem venceu, na cidade, foi o presidente. "Só o fato de Walter Pinheiro (PT) e João Henrique (Carneiro, PMDB) terem chegado ao segundo turno é uma sinalização clara de que a população aprova e apóia a administração do presidente Lula", acredita o governador Jaques Wagner. "Ele (Lula) é o grande vencedor desta eleição", concorda o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima.Com a nova configuração política resultante da reeleição de João Henrique, com 58,46% dos votos, Wagner e Geddel, ainda aliados na administração estadual, passam a polarizar a política no Estado e já não escondem a possibilidade de afastamento político. Apesar disso, são presenças certas - junto com o prefeito reeleito - na recepção a Lula. "Vamos recepcioná-lo com grande alegria, claro", diz João Henrique. "Temos uma grande aliança com o governo federal na administração da cidade e queremos aprofundá-la ainda mais." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.