Após dar 'voto crítico' a Dilma, Jean Wyllys diz que voltará a ser oposição

Após dar 'voto crítico' a Dilma, Jean Wyllys diz que voltará a ser oposição

Deputado federal do Rio de Janeiro diz que voltará a sua posição de oposição no legislativo

O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2014 | 21h25

Reeleito deputado federal no Rio de Janeiro com 144 mil votos, Jean Wyllys foi cabo eleitoral de Dilma Rousseff no segundo turno das eleições à presidência da República. Após confirmação da reeleição da petista, o parlamentar do PSOL disse à TV Estadão que mesmo acreditando que o seu governo dela é mais popular, voltará a sua posição de oposição no legislativo.

Após apoiar Luciana Genro no primeiro turno, o deputado diz ter expectativa que o governo de Dilma continue voltado a acabar com a pobreza no Brasil. "Eu não só declarei apoio à Dilma Rousseff como entrei na campanha dela e dei meu voto crítico. Foi uma candidatura em que a candidata teve contra si uma imprensa com um lastro contrário a ela. Apesar das críticas todas que tenho em relação ao governo Dilma, eu acredito que ela e Lula trabalharam para enfrentar a desigualdade social e a pobreza. Ela governará para todos, para os que votaram nela e para os que votaram no Aécio. Eu quero crer assim".

Mesmo sabendo das dificuldades que terá em seus próximos quatro anos, Wyllys enfatiza que continuará lutando por causas como os direitos humanos e o casamento gay. "Esse é um País de todos, e todos devem ser governados com justiça e igualdade. Ela vai encontrar dificuldades no congresso que tinha uma bancada conservadora e agora será mais conservadora ainda, mas vai encontrar muito apoio também. Como deputado que atua na defesa dos direitos humanos eu cumprirei esse papel de cobrar do governo todas as medidas que não foram tomadas no governo anterior", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.