Após criticar Câmara de SP, Soninha vira alvo de representação

Durante sabatina do 'Estado', vereadora disse que alguns vereadores recebiam propina para votar projetos

Andréia Sadi, do estadao.com.br

10 de setembro de 2008 | 16h00

A vereadora  Soninha Francine (PPS), candidata à Prefeitura de São Paulo, recebeu nesta quarta-feira, 10, representação por quebra de decoro assinado pelo vereador Carlos Apolinário, líder do DEM na Câmara Municipal. A Corregedoria se reuniu nesta manhã para discutir as declarações da vereadora feitas durante a sabatina do Grupo Estado, de que alguns vereadores recebiam propina em troca de aprovação de projetos.   "Eu recebi o pedido de representação assinado pelo vereador Carlos Apolinario, líder do DEM na Câmara, acho que, em nome do partido e, pelo que me disseram, a reunião não chegou a deliberar porque não deu quórum para indicar relator", disse ao estadao.com.br. O corregedor, Wadih Mutran (PP), ficou de marcar novo encontro para dar continuidade às investigações.       Veja Também: VÍDEO: Declarações de Soninha agitam a Câmara Municipal  BLOG: Principais declarações de Soninha durante sabatina Galeria de fotos do tumulto  'Na pior das hipóteses, recebe-se dinheiro para votar um projeto'     Soninha disse que "não ficou nem um pouco supresa com a representação". "Acho engraçado ou trágico. Eu não disse nada que eu não acredite e que eu precisa apresentar nomes e provas", contou.   Sem citar nomes, ela disse que vereadores votam "em função do que ficar combinado que eles receberão em troca". E acrescentou: "na pior das hipóteses", é o dinheiro que orienta as votações. Vereadora desde 2004, Soninha anunciou que lançará, no ano que vem, um livro intitulado O Catálogo da Desonestidade - de A a Z.      

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2008Soninha Francine

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.