Reprodução Twitter
Reprodução Twitter

Após alerta do MP eleitoral sobre aglomerações, candidatos do Rio investem em agendas virtuais

No sábado, Procuradoria alertou que descumprimento de normas sanitárias poderia configurar crime

Daniela Amorim, O Estado de S. Paulo

27 de setembro de 2020 | 17h34

Os candidatos do Rio de Janeiro iniciaram neste domingo, 27, a campanha para as eleições 2020, investindo no apelo virtual, após o alerta das autoridades eleitorais sobre a proibição a aglomerações em meio à pandemia do novo coronavírus.

A Procuradoria Regional Eleitoral no Rio de Janeiro (PRE-RJ) expediu neste sábado, 26, uma recomendação aos diretórios dos partidos sobre a necessidade de que os atos da campanha eleitoral de 2020 no Estado cumpram as normas sanitárias. Candidatos e partidos foram incumbidos de orientar os colaboradores a evitar aglomerações, respeitar a capacidade máxima de ocupação dos locais visitados e dar preferência a organizar atos em espaços amplos e abertos. Segundo o MP, o não cumprimento das regras pelos partidos pode configurar crime de “infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa”.

O primeiro ato da campanha do ex-prefeito Eduardo Paes, candidato do Democratas (DEM) à Prefeitura do Rio, foi a assinatura de uma carta de compromisso com lideranças comunitárias de favelas do Rio, pela manhã, no Morro do Adeus, na zona norte do Rio. O lançamento oficial da campanha de Paes ocorrerá via plataformas digitais, no fim do dia, quando apresentará propostas do seu plano de governo para a cidade.

A deputada federal e ex-governadora Benedita da Silva, que concorre ao cargo de prefeita do Rio pelo PT, deu início à campanha numa reunião com lideranças comunitárias no Morro do Vidigal, na zona sul da cidade.

A deputada estadual Martha Rocha (PDT) publicou em suas redes sociais uma apresentação da candidatura à prefeitura, ao lado do vice da chapa, Anderson Quack. Martha defendeu o turismo como geração de empregos e receitas para a cidade do Rio.

A deputada federal Clarissa Garotinho, do Pros, também usou suas redes sociais para apresentar seu vice na chapa, o ator e radialista Jorge Coutinho. A candidata Suêd Haidar, do Partido da Mulher Brasileira (PMB), faria a apresentação oficial de sua candidatura também pelas redes sociais, com transmissão direto de sua casa.

Inelegibilidade

O atual prefeito, Marcelo Crivella, do partido Republicanos, não tinha agenda oficial neste domingo, segundo sua assessoria de imprensa. Crivella teve a candidatura à reeleição registrada pelo Republicanos, mas o Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ) confirmou na última quinta-feira, 24, sua inegilibilidade, com base em duas ações que o acusavam de abuso de poder e prática de conduta vedada. Crivella já anunciou que recorrerá da decisão. 

O TRE afirma que o prefeito já está inapto para a disputa deste ano, enquanto a defesa acredita que é possível concorrer enquanto recorre. A conta oficial do prefeito no Twitter trazia neste domingo como foto de perfil uma propaganda eleitoral, com o número de votação da chapa, com Crivella posando ao lado da sua candidata a vice, a tenente-coronel Andréa Firmo, acompanhados do presidente da República, Jair Bolsonaro. Na quinta-feira, Bolsonaro disse que participaria da campanha em três cidades - São Paulo, Santos e Manaus - e não citou o Rio

Caminhada cancelada

O diretório municipal do Partido Novo cancelou a caminhada programada em Copacabana prevista para este domingo, que acabou substituída por um lançamento virtual da campanha de seus candidatos às eleições municipais. 

A largada seria transmitida nas redes sociais do partido e do candidato a prefeito, Fred Luz, com a participação de sua vice, Giselle Gomes, dos deputados estaduais e federais e de todos os 34 candidatos a vereador.

O ex-presidente do Flamengo Eduardo Bandeira de Mello, candidato à prefeitura pelo partido Rede, esteve nos arredores do estádio do Maracanã, na zona norte da cidade, ao lado da vice na chapa, a ex-vereadora Andrea Gouvêa Vieira.

O candidato Luiz Lima, do PSL, começou a campanha pela Prefeitura do Rio no calçadão de Campo Grande, na zona oeste. Apesar das orientações oficiais sobre o respeito às medidas de contenção da disseminação do novo coronavírus, algumas pessoas que acompanharam o candidato dispensaram o uso de máscaras em diferentes agendas do dia, que incluiu uma visita a um condomínio do programa Minha Casa Minha Vida, onde ouviu demandas de moradores de habitações populares da região.

A candidata do PSOL, Renata Souza, escolheu o monumento do Cais do Valongo, na Saúde, bairro da região central do Rio, para a primeira agenda oficial. Respeitando as recomendações de distanciamento social e uso de máscaras, Renata discursou para companheiros de partido e candidatos a vereador.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.