Hugo Cordeiro/Ascom Antonio Anastasia
Hugo Cordeiro/Ascom Antonio Anastasia

Apoiadores de Anastasia usam adesivos de candidato do PSL à Presidência

Postulante ao governo mineiro se mantém fiel a Geraldo Alckmin na disputa ao Planalto

Jonathas Cotrim, O Estado de S.Paulo

06 Outubro 2018 | 17h24

CAETÉ (MG) - O candidato do PSDB ao governo de Minas Gerais, Antonio Anastasia, realizou seu último ato de campanha, uma carreata, neste sábado, 6, no município de Caeté, na região metropolitana de Belo Horizonte. Muitos apoiadores do tucano usaram adesivos do presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, durante o evento.

"Eu não posso controlar o voto das pessoas. Meu candidato é o Geraldo (Alckmin) e fiz campanha para ele", disse Anastasia. Muitos materiais de outras campanhas de coligações adversárias, como de candidatos do MDB, que tem Adalclever Lopes como cabeça da chapa na disputa para o governo mineiro, também foram ostentados na carreata do PSDB.

Anastasia tem sido um dos tucanos que mais expressam fidelidade ao candidato do partido à Presidência, que apareceu em quarto lugar na pesquisa Ibope divulgada no dia 3, com 7%. Nos 45 dias de campanha, Alckmin e Anastasia estiveram juntos em 11 cidades mineiras.

Anastasia lidera os levantamentos na disputa para o governo de Minas. Em pesquisa Ibope publicada no dia 2, ele atingiu 33% das intenções de voto, enquanto o principal adversário, o governador Fernando Pimentel, do PT, chegou 22%.

Além de estar presente em diversos materiais de campanha do candidato mineiro, Alckmin também foi lembrado em seus discursos. Anastasia afirma que a eleição de Alckmin para o Planalto poderia ajudá-lo a resolver as dificuldades financeiras de Minas Gerais.

Enquanto mantém a fidelidade a Alckmin, Anatasia vem tentando evitar a fuga de votos de aliados tucanos para Bolsonaro, principalmente depois de ter circulado nas redes sociaisum vídeo com o candidato a vice-governador de sua coligação, Marcos Montes (PSD), declarando apoio ao candidato do PSL à Presidência.

O vice do tucano defendeu que sua chapa se aliasse a Bolsonaro para evitar o retorno do PT à Presidência. Anastasia amenizou a situação, dizendo que a fala de Montes se referia a uma "situação hipotética, que não vai acontecer".

De acordo com Anastasia, é uma tradição em suas campanhas realizar o último ato na região metropolitana de BH. "São as cidades mais populosas, e você fica mais próximo de Belo Horizonte", disse. O governador Fernando Pimentel fez seu último ato de campanha, uma caminhada, em Araçauí, no Vale do Jequinhonha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.