'Apaga tudo, pelo amor de Deus, a polícia está aqui'

O analista de sistemas Luiz Henrique Peres, funcionário da Demop preso pela Polícia Federal no último sábado por ocultação de provas, afirmou, em depoimento, que o empresário Olívio Scamatti, assim que foi detido, pediu que arquivos eletrônicos que estavam em uma mala dele na empreiteira fossem apagados. O analista contou ter recebido uma mensagem de celular do filho de Olívio. "Luiz, apaga tudo, pelo amor de Deus, a Polícia Federal está aqui", foi a ordem.

O Estado de S.Paulo

20 Abril 2013 | 02h04

Posteriormente, o próprio empresário ligou para o analista para saber se ele dera fim nos documentos que estavam em pen drives, um HD externo e um tablet que Scamatti sempre carregava consigo. Peres admitiu que escondeu na casa de sua sogra os objetos eletrônicos que estavam na pasta de Scamatti, e afirmou que apagou apenas "superficialmente" os documentos. O analista os entregou à PF, que aguarda uma perícia técnica para acessar os dados. Por ter cooperado, ele foi solto no próprio sábado.

"Não sei que tipo de ameaças ele (Peres) sofreu para falar o que falou, eu recebo com muita suspeita", declarou o criminalista Alberto Zacharias Toron, que defende Scamatti. "Causou-me profunda estranheza o fato de o delegado ter deixado esse cidadão incomunicável, não permitindo que sequer o advogado dele tivesse contato." / F.G e F.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.