Aos 7 anos, juiz do caso também teve o pai assassinado

O juiz André Luís Maia Tobias Granja, da 1ª Vara Federal de Alagoas, que preside o julgamento do caso Ceci Cunha, também teve sua família vitimada por crime de mando. Em junho de 1982, seu pai, o jornalista e advogado Francisco Guilherme Tobias Granja, foi assassinado com um tiro na nuca por dois homens contratados pelo empresário Dagoberto Calheiros. Granja tinha, na época, 7 anos.

O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2012 | 03h01

Segundo a Justiça, o crime foi encomendado porque a vítima defendeu e conseguiu absolver um ex-cabo da PM acusado de homicídios contra integrantes da família Calheiros. Este, como mandante, pegou 12 anos de prisão. Apesar desses precedentes, o juiz elogiou publicamente ontem a conduta da defesa dos cinco acusados. "Garanto que eles terão direito a ampla defesa", afirmou. / TIAGO DÉCIMO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.