Carl de Souza / AFP
Carl de Souza / AFP

Ao menos 13 Estados têm atos favoráveis à candidatura de Bolsonaro

Em dia marcado por manifestações contrárias ao candidato do PSL, seus apoiadores realizaram atos em defesa do capitão reformado

O Estado de S.Paulo

29 de setembro de 2018 | 22h19

Pelo menos 13 Estados tiveram atos favoráveis à candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência da República neste sábado, 29. Em São Paulo, Rio de Janeiro, Amapá, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Goiás, Acre, Rondônia, Amazonas, Espírito Santo, Piauí, Tocantins e Pará. 

No sábado, dezenas de cidades no Brasil e no exterior foram palco de atos contrários ao candidato. Todas as capitais tiveram manifestações contra o capitão reformado, que lidera as recentes pesquisas de intenção de voto para o primeiro turno, com 28%, seguido por Fernando Haddaddo PT, que tem 22%. Os atos foram coordenados pela campanha #EleNão, criada dentro de um grupo no Facebook que reúne 3,8 milhões de mulheres. 

Em Copacabana, no Rio, apoiadores do candidato do PSL promoveram o ato "Mulheres com Bolsonaro". Convocada como contraponto aos diversos protestos contra a candidatura de Jair Bolsonaro, a manifestação interrompeu uma das pistas da Avenida Atlântica, em Copacabana. O público era formado tanto por mulheres quanto por homens e se espalhou por um trecho de cerca de 100 metros. Com uma imagem de Bolsonaro de papelão em tamanho real em cima do carro de som, o ato começou às 14h20 com o Hino Nacional e um Pai Nosso.

"Somos um movimento de paz e harmonia", afirmou do microfone uma das líderes do movimento. "Aqui tem mãe solteira, tem mãe com dificuldade para pagar suas contas, que se vira nos trinta", declarou a ex-ativista do grupo feminista Femen Sara Winter. Candidata a deputada federal pelo DEM, pouco antes ela posou para foto segurando um “fuzil” de papelão. 

Diversas pessoas se revezaram nos discursos. O enfoque variou das críticas ao PT - "primavera vermelha aqui não, só lá em Curitiba, entre quatro paredes e atrás das grades", afirmou uma das manifestantes  -, à "defesa à vida", com críticas contundentes aos que defendem a legalização do aborto. Também houve ironias contra veículos de imprensa que têm divulgado denúncias contra Bolsonaro. 

Uma mãe negra, que tem nove filhos "e é proprietária de um lava-jato", uma mulher que se apresentou como defensora dos animais e um homem que afirmou "ter muito orgulho de ser gay, e mais ainda de ser Jair Bolsonaro" também discursaram.

Em São Paulo, os apoiadores de Bolsonaro se reuniram em frente ao estádio do Pacaembu. No Maranhão, um grupo pequeno de apoiadores fez uma manifestação no mesmo momento em que o ato contra ele era realizado no Largo da Batata e suas imediações. No Acre, cerca de 300 pessoas participaram da mobilização #Elesim na capital Rio Branco.

No início, os organizadores pensaram em realizar uma carreata, mas a adesão aumentou e o grupo fez uma caminhada. A mobilização contrária teve participação de 100 pessoas. No Estado, o Ibope aponta que Bolsonaro terá 53% dos votos.

No Tocantins, uma carreata em favor do candidato também foi realizada na capital, Palmas. Eles percorreram as principais vias da cidade. Em Vitória, um grupo também organizou um evento em apoio ao candidato. No Rio Grande do Sul, a cidade de Erechim recebeu uma passeata favorável a Jair Bolsonaro. Em Goiás, Rio Verde teve uma longa passeata favorável ao capitão reformado. 

Um grupo de apoio ao candidato Jair Bolsonaro também realizou manifestação de apoio ao candidato na mesma hora, mas no ponto extremo ao da manifestação do grupo de mulheres. A Polícia Militar relatou que as duas manifestações foram pacíficas. Tanto PM quanto a organização estimaram um grupo de aproximadamente 500 pessoas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.