DANIEL TEOBALDO/FUTURA PRESS
DANIEL TEOBALDO/FUTURA PRESS

Anastasia e Rodrigo Pacheco comemoram derrota do PT em Minas Gerais

Senador eleito pelo DEM acena com apoio a Jair Bolsonaro no segundo turno

Jonathas Cotrim, O Estado de S.Paulo

08 Outubro 2018 | 00h47

BELO HORIZONTE - O candidato do PSDB ao governo de Minas Gerais, Antonio Anastasia, que chegou ao segundo turno na segunda colocação, com 29% dos votos, comemorou a derrota do PT em Minas Gerais em discurso dado em seu comitê de campanha. “Cumprimos bem nosso papel nesse primeiro turno, o grande objetivo alcançado que foi a retirada do PT, o desgoverno do Pimentel em Minas, bem como sua candidata ao Senado, Dilma Rousseff”, disse o senador.

Anastasia também projetou o segundo turno, que será disputado contra o candidato do partido Novo, Romeu Zema, que recebeu 43% dos votos. “Vamos poder comparar o perfil e a biografia de cada candidato e cada qual, o que já fez por Minas Gerais ao longo de sua trajetória”, disse, comemorando também o fato de ter mais tempo de televisão e maior espaço nos debates.  

Anastasia esteve acompanhado do candidato ao Senado eleito, Rodrigo Pacheco, do DEM. Além de elogiar e agradecer a companhia de Pacheco na coligação, Anastasia também fez elogios ao segundo senador eleito por Minas Gerais, Carlos Viana, do PHS. Mesmo sem fazer parte da chapa formalmente, Viana declarou apoio para Anastasia e o acompanhou em agendas pelo interior do Estado.

Senador eleito por Minas Gerais, Rodrigo Pacheco também comemorou a derrota petista no Estado. “É um não ao PT, a um governo que foi muito mal sucedido, e que coloca no segundo turno dois nomes que representam a antítese petista”, disse.

Presidente do DEM em Minas Gerais, Pacheco acenou com a possibilidade de apoio a Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência, que disputa o segundo turno com Fernando Haddad, do PT. “Não vejo muita razoabilidade de qualquer perspectiva de apoio ao PT, a tendência é apoiar o Bolsonaro”, disse Pacheco, que ainda afirmou que a decisão final será tomada pela cúpula nacional do DEM, além de não envolver o PSDB na questão.

“Bolsonaro precisa fazer um compromisso com Minas Gerais”, declarou Pacheco, após dizer que tem não “gosta” da possibilidade de se manter neutralidade.

Aécio

Com 99,95% das urnas apuradas, o senador Aécio Neves se elegeu para a Câmara dos Deputados, com 106, 6 mil votos, sendo o 19º candidato mais votado em Minas Gerais. Neste domingo, Aécio foi hostilizado quando chegou para votar em um colégio na região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.