Analistas criticam alteração de parecer original

A Associação Nacional de Analistas e Especialistas em Infraestrutura (Aneinfra) repudiou ontem, em nota, a fraude em documento do Ministério das Cidades que elevou em R$ 700 milhões projeto de mobilidade urbana para a Copa de 2014, em Cuiabá (MT), conforme revelou o Estado na quinta-feira. A entidade fez um desagravo ao analista Higor Guerra, que teve substituído irregularmente seu parecer técnico contrário ao projeto do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

O Estado de S.Paulo

29 de novembro de 2011 | 03h06

Em entrevista exclusiva ao Estado no domingo, Guerra afirmou ter sofrido pressões para adulterar seu parecer para trocar o projeto de linha rápida de ônibus (BRT) pelo do VLT. A fraude teria sido feita, com aval do ministro Mário Negromonte, atendendo a acordo político com o governo do Mato Grosso. O ministro negou.

Na nota, a Associação diz que os gestores não têm o direito de impor o resultado de um parecer técnico. "Os processos administrativos (...) têm que ser resguardados de fraudes ou adulterações", observa. Para a entidade, é preciso reforçar "não só os quadros operacionais com técnicos qualificados, mas também os gerenciais". / VANNILDO MENDES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.