ANÁLISE: Viés de baixa de Russomanno deixa corrida imprevisível

A mais recente pesquisa Ibope deixa Celso Russomanno na posição daquele piloto de Fórmula 1 que está em segundo lugar numa corrida, mas sente o motor de seu carro perder força a cada volta, enquanto observa os adversários pelo retrovisor. A pergunta, portanto, é: ele conseguirá manter a colocação antes da reta final? Ou será ultrapassado? 

Alberto Bombig, O Estado de S.Paulo

29 de setembro de 2016 | 05h00

Russomanno foi o único candidato que manteve o viés de baixa e oscilou para menos entre as duas mais recentes pesquisas do Ibope. Marta Suplicy deu sinais de ter estancado a tendência de queda, e Fernando Haddad frustrou aqueles que esperavam uma forte arrancada petista – ambos oscilaram um ponto para cima e mantiveram a distância que os separava na semana passada: três pontos porcentuais.

Marta e Haddad continuarão a concorrer pelos votos da parcela do eleitorado historicamente contrária ao PSDB de João Doria, mas pesa contra o atual prefeito o mais alto índice de rejeição registrado entre os candidatos. 

Daqui até as 17 horas de domingo que vem, quando a votação se encerrará, a reta finalíssima do primeiro turno deverá garantir emoções. Nesse cenário, ganha ainda mais importância o debate de hoje à noite na TV Globo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.