Análise política: Governador tenta apenas conter danos

Governador evita cascas de banana colocadas pelos outros candidatos, principalmente Skaf e Padilha, que tentaram promover os duelos mais intensos

Julia Duailibi, Especial para o Estado

27 de setembro de 2014 | 00h49

Geraldo Alckmin participou do debate desta sexta-feira, 26, na TV Record com um objetivo principal: conter danos. O encontro foi realizado na esteira da divulgação da pesquisa Datafolha, que apontou vitória do tucano no 1.º turno. Líder, Alckmin foi o principal alvo do encontro e a todo momento tentou equilibrar tranquilidade sem demonstrar excessiva passividade.

O governador chegou ao debate com a missão de administrar sua situação. Evitou cascas de banana colocadas pelos outros candidatos, principalmente Paulo Skaf e Alexandre Padilha, que tentaram promover os duelos mais intensos. Aliados de Alckmin já avisavam nos bastidores que ele buscaria como interlocutores candidatos de partidos mais dóceis ao PSDB, evitando, assim, alimentar o confronto.

Por outro lado, Alckmin tentava se desvencilhar da pecha de “frouxo” ou “mole”, colocada pelos adversários. Na tentativa de fugir do estigma de “picolé de chuchu”, rebateu as acusações mais duras, não porque quisesse buscar uma polarização com os adversários, mas porque sabia que “apanhar” sem se defender poderia causar um estrago maior. Veterano em debates, Alckmin conseguiu deixar o estúdio ileso. 

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.