Anac pede informações ao governo de MG e prefeitura sobre aeroporto

Agência Nacional de Aviação Civil informou que pilotos que tenham feito operações na região poderão ser multados em até R$ 10 mil

Ricardo Chapola, Eduardo Rodrigues e Marcelo Portela, O Estado de S. Paulo

21 de julho de 2014 | 19h30

Atualizado às 22h19 - A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou nesta segunda-feira, 21, que vai notificar o governo de Minas e a prefeitura de Cláudio, no interior do Estado, para que expliquem o uso de um aeroporto construído com dinheiro público em um terreno que já pertenceu a um tio-avô do candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves. A agência deu prazo de dez dias para que os dados sejam enviados.

Minas gastou cerca de R$ 14 milhões na construção do aeroporto, que ficou pronto em 2010, último ano da gestão de Aécio como governador do Estado. O terreno que pertencia a um tio-avô do tucano foi desapropriado, mas o caso está em litígio – os antigos proprietários contestam o valor da indenização.

Oficialmente, o aeroporto não pode funcionar, pois não está homologado pela Anac, diz nota divulgada pela agência federal que regula o setor aéreo.

Reportagem publicada pelo jornal Folha de S. Paulo no domingo, porém, traz relato de um dos filhos do tio-avô de Aécio segundo o qual a pista recebe pelo menos um voo por semana. Fernando Tolentino, filho de Múcio Guimarães Tolentino, tio-avô do candidato tucano ao Planalto, afirmou ainda, segundo o jornal, que o próprio Aécio, seu primo, usa o aeroporto sempre que visita a cidade. O tucano, junto com as irmãs e a mãe, é dono de uma fazenda que fica a 6 quilômetros da pista. O acesso ao aeroporto é controlado pelos parentes do candidato. 

A Anac afirma na nota que o governo de Minas precisa providenciar um parecer da Aeronáutica. A agência também diz que precisa inspecionar o empreendimento. “Se comprovadas as irregularidades, a Anac adotará as medidas cabíveis. Pilotos e operadores de aeronaves que porventura tenham realizado operações aéreas irregulares poderão ser multados em até R$ 10 mil por operação.” 

O governo mineiro informou apenas que “o controle de voos é realizado pelo Estado nos aeroportos regionais que possuem aviação comercial regular”. A prefeitura de Cláudio disse que tem convênio com o Estado para explorar o aeroporto, mas não deu informações sobre os voos operados no local.  Já o PSDB divulgou nota acusando o governo Dilma Rousseff de utilizar a Anac para “perseguir adversários políticos”. A campanha tucana promete representar no TSE contra a agência e a presidente.

 

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesAecio NevesClaudio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.