Ana de Hollanda ganha bota-fora de funcionários

Nove horas depois de ter sido demitida pela presidente Dilma Rousseff, a ex-ministra da Cultura Ana de Hollanda ainda mostrava energia para o último compromisso do dia: o bota-fora oferecido pelos funcionários do ministério, que a convenceram a ir para o restaurante Carpe Diem.

O Estado de S.Paulo

13 de setembro de 2012 | 03h08

Com ar relaxado, contou a breve reunião com a sucessora, Marta Suplicy, ocorrida horas antes. Na conversa, Marta deu prioridade a temas mais polêmicos da pasta: direitos autorais e Ecad (órgão contratado pelos músicos para a coleta de seus direitos).

Ana explicou a retirada do selo Creative Commons (ONG que defende a flexibilização dos direitos dos autores na internet) do site do ministério. Afirmou que a flexibilização é questão de foro íntimo de cada autor e artista e não deve ser política de governo.

Quanto ao Ecad, disse que discorda da fiscalização externa oficial, por considerar o assunto uma relação privada entre autores e escritório de arrecadação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.