Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Alvaro Dias minimiza força do Centrão como definidor de vitória de Alckmin

Após convenção estadual do Podemos, senador defendeu necessidade de substituir o 'sistema fracassado'

Francisco Carlos de Assis, O Estado de S.Paulo

22 Julho 2018 | 16h52

SAO PAULO - O pré-candidato à Presidência da República pelo Podemos, senador Alvaro Dias, minimizou neste domingo, 22, o peso que está sendo atribuído ao chamado Centrão - grupo de partidos formado por DEM, PP, PR, PRB e Solidariedade - como decisivo para vitória de quem quer que seja o candidato que receber seu apoio nas eleições 2018.

Alvaro Dias concedeu entrevista ao Estadão/Broadcast depois de ter participado da Convenção Estadual do Podemos que oficializou a candidatura ao Senado do vereador paulistano Mário Covas Neto, filho do ex-governador de São Paulo Mário Covas Filho.

Perguntado sobre o que achava do acerto entre Alckmin e o Centrão, Alvaro Dias tentou minimizar a força do grupo enquanto fator determinante de vitória do candidato que receber seu apoio. "Em relação a chapões que são articulados na madrugada da política com compromissos assumidos longe do interesse popular, não creio que possam contribuir para a vitória de quem quer que seja", disse o senador. Até porque, emendou ele, hoje a sociedade indignada exige uma alternativa diferenciada. 

Dias afirmou que o presidencialismo de coalizão que extrapola os limites do bom senso é um sistema fracassado. "E é justamente a substituição desse sistema que estamos pregando nessa campanha", salientou. "Imagino que um horário de televisão generoso não elege. O que elege é princípio, é proposta, é história, passado limpo e alternativa diferente que possa substituir um sistema fracassado que se tornou uma fábrica de escândalos de corrupção no País", pontuou o senador paranaense.

Piada de mau gosto 

O senador não gostou e até chegou a se irritar ao ser perguntado sobre o que pensava sobre uma suposta pressão para que ele abandonasse a sua pré-campanha para vir a compor uma chapa com o ex-governador de São Paulo. "É piada de mau gosto da qual ninguém ri", disse, arrancando risos de batalhão de pré-candidatos a deputados estaduais e federais que o cercavam pedindo para tirar fotos ao seu lado e para que ele gravasse mensagens de apoio às suas candidaturas.

Entre o saguão da Assembleia Legislativa até o estacionamento onde estava seu carro, uma distância de pouco mais de 100 metros, Dias levou quase uma hora. Candidatos de todas as partes de São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul buscavam o apoio do senador para suas campanhas.

Convenção 

Sobre a Convenção, o pré-candidato disse que o evento foi a fotografia da força e do crescimento do partido no Estado de São Paulo. "Foi uma chapa de candidatos que levou dificuldades à Executiva Estadual de São Paulo porque sobraram nomes para compor uma chapa pura", disse ele. Depois de atender a todos, Álvaro Dias seguiu para Osasco, município ao Oeste da capital paulista, onde cumpria agenda política no restante do domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.