Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Alvaro Dias descarta ser vice na chapa de Geraldo Alckmin nas eleições 2018

Pré-candidato à Presidência pelo Podemos, ele afirma que 'não há qualquer hipótese' de aliança acontecer

Renan Truffi, O Estado de S.Paulo

24 Julho 2018 | 18h36

BRASÍLIA - A resistência do empresário Josué Gomes (PR) para ser vice na chapa de Geraldo Alckmin (PSDB) trouxe de volta os rumores sobre opções para o posto. Alvaro Dias, que também é pré-candidato à Presidência nas eleições 2018 e tem retirado votos do PSDB, principalmente na região sul, continua sendo cotado para ocupar o posto de vice do tucano.

Ainda assim, Dias avisa que "não há qualquer hipótese" de essa aliança acontecer. Segundo o pré-candidato do Podemos, a aliança de Alckmin com o centrão é uma reedição ampliada do presidencialismo de coalizão, sistema que ele classifica como "corrupto" e "ultrapassado".

"O povo brasileiro está cansado desse sistema político. Meu único propósito da campanha é pregar o fim desse sistema corrupto e ultrapassado. Eu não vou avalizar a reedição dessa tragédia que estamos vivendo, com a repetição do sistema. O que estamos verificado é a reedição ampliada desse presidencialismo de coalizão que fracassou", afirmou.

O senador questionou os motivos que fazem a campanha de Alckmin querer "tirá-lo do jogo". "Há meses, quando me consultaram da primeira vez, eu disse que essa hipótese não deve ser cogitada. Não há nenhuma hipótese de isso acontecer. Por que querem me tirar do jogo? Qual a razão de quererem me tirar do jogo? Por que eu tiro os votos do Alckmin e ele não tira os meus?", perguntou. "Eu não entendo essa preferência de alguns por um candidato de São Paulo", complementou.

Na campanha de Alckmin, o discurso oficial é que o partido vai esperar uma resposta oficial de Josué Gomes. Além disso, os tucanos procuram enfatizar que a incumbência de indicar um novo nome para o posto é do centrão, grupo formado por partidos como DEM, PP, PR, PRB e Solidariedade. "Estamos aguardando definição oficial de Josué e do bloco", disse o secretário-geral do PSDB, deputado Silvio Torres (SP). "Ainda não entramos na fase de nomes porque a bola está com o bloco."

Mais cedo, como mostrou o Estadão/Broadcast, Alckmin não quis confirmar em público o teor da conversa que teve com o empresário ligado ao PR nesta semana. "Vice é construção coletiva. Gostei quando me indicaram o nome de Josué. Se for ele o nome, ótimo. Se não for, vamos buscar outro", disse o ex-governador, após participar de encontro promovido pela Amcham em São Paulo. "Josué já está na nossa campanha. Se vai ser vice ou não, vamos ver."

A Executiva Nacional do PR também divulgou nota negando que Josué Gomes tenha recusado ser o vice na chapa de Alckmin. "A Executiva Nacional do PR esclareceu, no início da tarde de hoje, que ainda não há registro de qualquer decisão do republicano Josué Gomes, convidado para ser o vice da chapa encabeçada por Geraldo Alckmin", diz o comunicado. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.