WILTON JUNIOR/ESTADÃO/DIVULGAÇÃO
WILTON JUNIOR/ESTADÃO/DIVULGAÇÃO

Alvaro Dias afirma que quem recorre ao voto útil 'assina atestado de burrice'

Para o candidato do Podemos nas eleições 2018, pesquisas de intenção de voto partem de base irreal

Márcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

18 de setembro de 2018 | 19h06

RIO DE JANEIRO - O candidato à Presidência pelo Podemos nas eleições 2018, Alvaro Dias, disse nesta terça-feira, 18, que "quem assina o voto útil assina um atestado de burrice". Sexto colocado na última pesquisa Ibope, com 3% das intenções de voto, Dias considera que os levantamentos são temerários a mais de três semanas do pleito, e diz que a eleição será decidida nos últimos dias.

O candidato esteve em uma livraria no Centro do Rio de Janeiro no fim da tarde participando do lançamento de um livro de seu vice, Paulo Rabello de Castro

"Elas (pesquisas eleitorais) são temerárias, porque partem de uma base irreal. Mais de 50% dos pesquisados se recusam a responder o questionamento. Esta é uma eleição que será decidida na última semana", avaliou, para depois criticar os que defendem o "voto útil", aquele destinado a candidatos que, segundo as pesquisas, teriam maior chance de ir ao segundo turno.

"Há uma campanha em curso que é a estratégia do voto útil, que não é o voto inteligente. A estratégia do voto útil deseduca, é dizer 'não vote no melhor'. É preciso votar no melhor, devemos escolher o melhor. É por isso que existem dois turnos", sustentou Dias. "A estratégia do voto útil, me perdoem, não é inteligente. Quem assina o voto útil assina um atestado de burrice."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.