Alexandre Padilha avisa: 'Não subestimem a força do PT'

Em caminhada pelo Grajaú, candidato enaltece união do partido e esbanja confiança com início de campanha

Gustavo Zucchi, O Estado de S. Paulo

03 de agosto de 2014 | 17h33

 Alexandre Padilha parece acreditar que a melhor defesa é o ataque. Durante caminhada pelo Grajaú, bairro da zona sul de São Paulo, o candidato do PT aproveitou para comparar as vitórias dos governos do PT com as falhas da gestão do PSDB no Estado de São Paulo. Ao lado de Fernando Haddad, o petista enalteceu o colega e criticou o concorrente Geraldo Alckmin, em especial no que diz respeito a mobilidade. 

"Compara a promessa do Alckmin de entregar 30 km de metrô o que ele entregou e compara a promessa da presidente Dilma de mudar o aeroporto de Guarulhos e Viracopos e o que nós entregamos. Eu quero ser governador de São Paulo para adotar o mesmo modelo de ampliação do aeroporto de Guarulhos e de Viracopos para as obras do metrô", disse Padilha.

O candidato também realçou a importância para a cidade que seria ter governantes do mesmo partido em todas as esferas do poder: municipal, estadual e federal. "Eu tenho coragem e o orgulho de defender o governo da Dilma, o governo do Haddad, o legado do presidente Lula. A campanha vai ser oportunidade da gente mostrar como mostramos hoje as mudanças que começaram em um ano e meio de governo . Ou seja, em um ano e meio de governo, o Haddad já fez o que outros prefeitos não fizeram em anos aqui", explicou.

Imagem. Ao lado de Haddad e do senador e candidato a reeleição, Eduardo Suplicy, Padilha teve que se apresentar a vários lojistas no bairro do Grajaú. Assim como o prefeito, Padilha tem o desafio de crescer nas pesquisas e se tornar conhecido do eleitorado, pouco acostumado a conhecer ministros. A última pesquisa do Ibope mostra que Padilha tem cerca de 5% das intenções de voto.   

"Eu estou muito otimista nós vamos ganhar a eleição. Não subestima a força do PT. porque todos que subestimaram a força  do PT, quando chega em outubro viram a capacidade do PT em conversar com as pessoas, mobilizar sua militância e ganhar  a eleição. E com uma diferença: nesse eleição para o governo do Estado de São Paulo o PT nunca esteve tão unido", completou.  

Mais conteúdo sobre:
EleiçõesAlexandre PadilhaPT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.