Alckmistas ensaiam reação e recorrem a foto antiga de Serra

Tucanos tentam reagir para turbinar acandidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) à prefeitura de SãoPaulo, em queda na preferência do eleitor e em franca disputacom o prefeito e candidato Gilberto Kassab (DEM) para ir aosegundo turno. A idéia do movimento é mobilizar militantes do partido emtorno do lema "Só depende de nós". Estão programados encontros,panfletagens, carreatas e visitas a residências nos bairros. Segundo disse um integrante do grupo, o trabalho serárealizado de forma gratuita, uma forma de contrabalançar osrecentes problemas com a arrecadação de recursos e paracontornar os militantes pagos das campanhas de Kassab e deMarta Suplicy (PT), a líder das pesquisas. Na primeira reunião das cinco previstas, ocorrida nasegunda-feira à noite, foi mostrado um panfleto com uma foto deAlckmin e do governador José Serra (PSDB) juntos, que traztambém uma lista de realizações do partido à frente do governodo Estado, desde 1995. A imagem, no entanto, é de arquivo, e apresenta os doistucanos na campanha de 2006, quando Alckmin concorreu àPresidência e Serra, ao governo paulista. Até agora, Serra nãoparticipou de um único evento público de campanha junto aAlckmin, enquanto o presidente Luiz Inácio Lula da Silva estevecom a candidata Marta Suplicy (PT), líder das pesquisas, emcomício na zona leste há dez dias. Em e-mails, obtidos pela reportagem, o grupo alckmistaprega a ação da militância contra a "máquina eleitoral denossos adversários", em referência indireta a Kassab, quelidera uma gestão repleta de tucanos herdados da administraçãode Serra. Ele deixou o posto para seu vice em 2006 rumo aogoverno paulista. Um dos principais argumentos utilizado pelo grupo paraatrair integrantes do partido é o resultado da eleiçãopresidencial, quando os paulistanos preferiram Alckmin nos doisturnos, ao invés de Lula, que venceu a disputa. "Vamos derrotarnovamente o PT", diz o texto. Alckmin, com 22 por cento de intenção de voto, e Kassab,com 18 por cento, estão tecnicamente empatados na mais recentepesquisa Datafolha, enquanto Marta aparece isolada com 40 porcento. No início de julho, o tucano tinha 31 e Kassab, 13. O movimento tucano é paralelo à coordenação da campanha deAlckmin e tem à frente o deputado federal Antonio Carlos MendesThame, presidente do PSDB estadual, e o deputado estadual Vazde Lima, presidente da Assembléia Legislativa paulista. O gruporepete atuação realizada este ano favorável à candidatura deAlckmin e contrária ao apoio do partido a Kassab, como pregavaSerra. O primeiro encontro de campanha entre Alckmin e Serra estáprevisto para quarta-feira, quando participarão de um jantar nasede social do Jockey Club em evento fechado e organizado peloPSDB para angariar recursos financeiros para a campanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.