Alckmin volta a centrar ataques em Kassab na TV

O candidato do PSDB abordou o caos no trânsito da cidade no horário eleitoral desta quarta-feira, 17

ELIZABETH LOPES E ANA LUÍSA WESTPHALEN, Agencia Estado

17 de setembro de 2008 | 14h49

O candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, Geraldo Alckmin, continua apostando suas fichas na estratégia de atacar os adversários, sobretudo o antigo aliado Gilberto Kassab (DEM), prefeito e candidato à reeleição, como forma de tentar garantir uma vaga no segundo turno dessas eleições. Nesta quarta-feira, 17, no programa do horário eleitoral gratuito na TV, o tucano abordou o caos no trânsito da cidade, trouxe depoimentos de pessoas que padecem com esse problema e afirmou: "O prefeito Kassab não investiu na evolução do sistema, transporte não foi prioridade em seu governo."     Veja também: Especial: Perfil dos candidatos  Blog: propostas dos candidatos de São Paulo na sabatina do 'Grupo Estado' No rádio, Marta reforça parceria com Lula e Dilma Campanha de Alckmin fica mais agressiva contra rivais Você vai acompanhar o horário eleitoral para definir seu candidato ?  O candidato da coligação "São Paulo, na Melhor Direção" (PSDB-PTB-PHS-PSL-PSDC) também criticou a candidata do PT, Marta Suplicy, mas de uma forma mais amena, dizendo: "Justiça seja feita, a ex-prefeita Marta obteve alguns avanços", citando o Bilhete Único e os corredores de ônibus. Porém, disse que ela também não resolveu a questão. E aproveitou para citar a "prometida parceria" com o governador do Estado, José Serra (PSDB), caso seja eleito: "Conversei com o Serra e ele topa dividir com a Prefeitura a busca de soluções." No encerramento do programa, foi exibido o pequeno trecho do discurso de apoio de Serra a Alckmin, na semana passada, no jantar que angariou fundos para a campanha e celebrou os 20 anos do PSDB.O programa do prefeito e candidato à reeleição, Gilberto Kassab, deu prioridade à linha propositiva e os ataques feitos aos adversários foram mais sutis, sem a citação de nomes. Um dos principais temas abordados pelo candidato foi a saúde, com foco na AMA Especialidade, que atende áreas médicas especializadas, como cardiologia. Além disso, o candidato da aliança "São Paulo no Rumo Certo" (DEM-PR-PMDB-PRP-PV-PSC) mostrou feitos de sua gestão, em tradicionais redutos do PT, como a favela de Heliópolis.Nas críticas aos adversários, o prefeito e candidato à reeleição alfinetou: "Os outros já tiveram chance de fazer, não fizeram, e às vésperas da eleição criticam os outros", alfinetou o prefeito, numa referência à ex-prefeita Marta Suplicy e ao ex-governador Geraldo Alckmin, mas sem citar nominalmente os opositores. No final do programa, um Kassab sorridente disse que gostaria de fazer mais pela cidade e ouvir os eleitores dizerem: "Valeu Kassab, valeu o meu voto."A candidata do PT à Prefeitura, Marta Suplicy, dedicou seu programa eleitoral na televisão de hoje para falar sobre o projeto de implantação de Internet com banda larga gratuita na capital paulista. "Quero a cidade antenada, a primeira capital com acesso livre à internet e banda larga para todos", declarou. De acordo com ela, a proposta é instalar equipamentos das redes dos cerca de 4 mil prédios municipais. A candidata comparou as críticas que vêm sendo feitas por seus adversários ao projeto com as recebidas quando propôs a criação dos Centros Educacionais Unificados (CEUs), quando esteve à frente da Prefeitura.Em uma praça em São Miguel, na zona leste da cidade, a candidata da coligação "Uma Nova Atitude para São Paulo" (PT-PCdoB-PDT-PTN-PRB-PSB) apareceu conversando informalmente com moradores, e prometeu a construção de mais CEUs, a ampliação do programa de transporte escolar Vai e Volta, a reforma dos terminais de ônibus e a recarga do Bilhete Único nas catracas. A candidata até ensaiou com uma jovem que também estava na praça em São Miguel, uns passos do ''break'', que conquistou os jovens, principalmente os da periferia.Pedindo votosO programa de Paulo Maluf (PP) abriu com o depoimento de uma moça pedindo enfaticamente que votassem no candidato. Maluf voltou a falar para os eleitores que ele fez muito mais, com menos recursos, para a cidade. "Vou resolver os problemas de nossa cidade", destacou. O programa foi encerrado com um depoimento de um jovem pedindo, de maneira quase teatral, que os eleitores votassem em Maluf porque ele é a melhor opção para a Prefeitura.Primeiro a apresentar suas propostas no horário eleitoral de hoje, o candidato do PMN à Prefeitura paulista, Renato Reichmann (PMN) falou sobre projeto para transporte de pacientes da rede municipal, denominado taxi família. Na seqüência, Ciro Moura, do "Tostão contra o Milhão" (PTC-PTdoB), convocou outros candidatos para assumir o compromisso de permanecerem no cargo de prefeito até o fim do mandato.Soninha Francine (PPS) usou seu espaço para dar destaque ao meio ambiente e prometeu destinar mais recursos para a Secretaria do Verde, caso seja eleita. Levy Fidélix (PRTB) falou sobre suas propostas para o transporte. O candidato da aliança "Alternativa de Esquerda para São Paulo" (PSOL-PSTU), Ivan Valente, citou a proposta de renegociação da dívida pública e, fechando o horário eleitoral gratuito na TV do início da tarde de hoje, a candidata Anaí Caproni (PCO) chamou atenção para a questão da educação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.