Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Alckmin passam mal em encontro com pessebistas e é internado

Governador e candidato à reeleição foi diagnosticado com uma infecção intestinal bacteriana aguda

Pedro Venceslau e Carla Araújo, O Estado de S. Paulo

22 de agosto de 2014 | 20h12

O governador e candidato à reeleição, Geraldo Alckmin (PSDB), foi internado nesta sexta-feira no Instituto do Coração (Incor) depois de se sentir mal e foi diagnosticado com uma infecção intestinal bacteriana aguda.

O tucano teve os primeiros sintomas logo pela manhã: febre, enjoo, mal-estar e vômito. Mesmo assim  cumpriu agenda na capital pela manhã ao participar da assinatura do contrato de construção do monotrilho da Linha 18-Bronze do Metrô.

Questionado sobre como a recusa de Marina Silva em participar da sua campanha em São Paulo o afetaria, o governador Alckmin foi evasivo: "Sempre tenho reiterado meu apreço, meu respeito, minha admiração pela Marina. Não mudei. Reitero aqui esse apreço".

Ao voltar para o Palácio, Alckmin recebeu em seu gabinete o deputado federal Beto Albuquerque (PSB), candidato a vice-presidente na chapa de Marina Silva (PSB), e o deputado Márcio França, candidato a   vice-governador do tucano e promovido a tesoureiro da campanha presidencial do PSB depois da morte de Eduardo Campos. O encontro foi marcado para a dupla pessebista reafirmar o compromisso de apoiar Alckmin na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes, apesar da resistência de Marina, que se recusa a subir nos palanques tucanos.

Durante o encontro, Alckmin sentiu-se muito mal e chamou seu secretário da saúde, o médico David Uip, para examiná-lo. O governador então foi encaminhado para o Incor, onde fez exames que constataram a infecção intestinal.

Até o início da noite, o governador permanecia internado, sendo medicado e tomando soro, com um quadro estável. Antes da infecção, Alckmin havia confirmado presença no debate com os demais candidatos ao governo de São Paulo promovido pela TV Bandeirantes, que acontecerá nesta sábado. Segundo sua assessoria, caso o candidato esteja recuperado ele deve manter a agenda. 

Mais conteúdo sobre:
EleiçõesGeraldo AlckminPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.