Alckmin garante que não haverá pedágio em Bauru

Governador aproveitou mais uma 'visita técnica' pelo interior do Estado para fazer campanha e prometeu não privatizar rodovia

Chico Siqueira, especial para O Estado, O Estado de S. Paulo

17 de setembro de 2014 | 18h06

O governador Geraldo Alckmin garantiu nesta quarta-feira, 17, que não haverá pedágio novo no trecho da rodovia que liga a cidade de Bauru ao aeroporto do município de Arealva, no interior do Estado. A promessa foi feita durante mais uma "visita técnica" que o governador tem aproveitado para fazer campanha no interior de São Paulo.

Depois de afirmar que não haveria o pedágio na via que está sendo duplicada Alckmin fez corpo a corpo na praça Rui Barbosa, a principal de Bauru, e caminhou pelo calçadão comercial, sempre acompanhando por dezenas de correligionários e pelo deputado estadual Pedro Tobias (PSDB), que também tenta a reeleição.

A movimentação chamou atenção de pessoas que passam pela região e que pararam para cumprimentar ou tirar fotos com o governador, que em todos os momentos se mostrou receptivo. Antes retornar à Capital, Alckmin ainda visitou as obras da maternidade Santa Isabel e conversou com funcionários do hospital, que está sendo ampliado.

Antes, o governador passou por Marília onde visitou as obras de duplicação da SP-333, no chamado Contorno de Marília. Ao ser questionado sobre suas propostas para um novo governo, ela disse: "Nossa proposta é investir em infraestrutura e logística para o desenvolvimento, como duplicação, contornos, obras viárias, aeroportos, integração de modais e recursos humanos para o desenvolvimento".

"O interior paulista merece uma infraestrutura compatível com a geração de emprego e o desenvolvimento que ele proporciona para São Paulo", acrescentou. "Em todo Estado estamos investindo, duplicando, melhorando a logística, a infraestrutura, que é uma vacina contra acidentes, e ao mesmo tempo, traz muito emprego e oportunidade trabalho para a população", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesGeraldo Alckminpedagio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.