Pedro França/Agência Senado
Pedro França/Agência Senado

Alckmin e ACM Neto negam sondagem para Ana Amélia ser vice em chapa tucana

Senadora chegou a dizer que ainda estaria avaliando um suposto convite

Renan Truffi, O Estado de S.Paulo

02 de agosto de 2018 | 12h58

BRASÍLIA - O pré-candidato do PSDB à Presidência nas eleições 2018, Geraldo Alckmin, negou nesta quinta-feira, 2, que sua campanha tenha sondado a senadora Ana Amélia (PP-RS) para ocupar a vaga de vice em sua chapa presidencial. Envolvido nas discussões, o presidente do DEM, ACM Neto, também disse desconhecer qualquer tipo de convite para a parlamentar progressista.

"Não tem nada nesse sentido", afirmou Alckmin, quando questionado sobre as afirmações feitas pela senadora, de que teria recebido o convite. ACM Neto deu resposta parecida. "Eu desconheço (convite para Ana Amélia). A senadora é um dos nomes que estão sendo cogitados, mas eu desconheço que tenha havido qualquer sondagem a ela. Da mesma forma que a presidente do Podemos (Renata Abreu) disse que o senador Álvaro Dias (Podemos-PR) foi sondado e não é verdade. Ninguém sondou Álvaro Dias, respeitando inclusive a decisão dele de ser pré-candidato à Presidência. Não adianta vocês ficarem de patrulha porque as conversas vão acontecer por telefone", afirmou ACM Neto.

ACM Neto também contradisse as declarações do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que afirmou, mais cedo, que o "centrão" - bloco formado por PR, PP, PRB, DEM e Solidariedade - já havia chegado a um consenso sobre o nome para ocupar o posto de vice. "Rodrigo (Maia) saiu dizendo que as coisas já estavam resolvidas, sendo que não estão resolvidas. É óbvio que o processo está bastante afunilado, mas a gente já tinha dito a vocês que é muito possível que até o um fim do dia de hoje teremos uma definição sobre o nome da vice ou do vice", afirmou o presidente do DEM.

Mais cedo, Ana Amélia disse ao Broadcast Político que ainda está avaliando um suposto convite. Ela contou que uma crise de hipertensão, na semana passada, a fez avaliar essa possibilidade e explicou que precisa conversar com seu médico sobre isso antes de uma decisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.