Alckmin diz que Marta não investiu no Metrô porque não quis

Tucano diz que pretende investir na criação da Linha 6 do Metrô, que vai ligar zona Norte com zona Leste

Carolina Freitas, da Agência Estado

06 de agosto de 2008 | 14h19

O candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse nesta quarta-feira, 6,  que a adversária do PT, Marta Suplicy, quando prefeita, não investiu no Metrô "porque não quis". Para o tucano, Marta preferiu priorizar outras áreas de transporte e acabou colocando dinheiro, por exemplo, em "túnel que acaba em semáforo", numa alusão à obra da petista na Avenida Rebouças. As críticas de Alckmin à petista foram feitas nesta manhã em evento no Instituto de Engenharia, na Zona Sul da Cidade, onde ele falou de seus projetos para a área de infra-estrutura e transportes.   Veja Também: Pesquisa Ibope - São PauloPerfil de Geraldo AlckminGuia do eleitor esclarece dúvidas sobre o pleito Quando Marta participou do mesmo evento promovido pelo Instituto de Engenharia, há duas semanas, afirmou que tinha intenção de investir no Metrô do Largo da Batata, em Pinheiros, quando foi prefeita, mas não conseguiu colocar em prática a idéia por falta de um projeto do governo estadual na área. Alckmin (que estava no governo do Estado na ocasião) rebateu o argumento da petista: "Em 2004, a Linha Quatro já estava contratada. Marta não aportou capital porque não quis, que não venha com essa desculpa de que não tinha projeto." O tucano disse que pretende, se eleito, investir na criação da Linha 6 do Metrô, que vai ligar a Freguesia do Ó, na zona Norte, com a Vila Prudente, na zona Leste. Alckmin se comprometeu a colaborar com dinheiro da Prefeitura neste projeto, mas disse que ainda não definiu o valor do investimento. O candidato disse também que pretende contar com o apoio da iniciativa privada e de financiamentos para realizar esta e outras obras na cidade. "Vamos trazer a iniciativa privada, através de Parceria Público Privada (PPP), e de concessão em investimentos privados." Alckmin quer também recursos do governo federal no Metrô paulista. "Em todas as metrópoles do mundo a União ajuda no metrô. Em São Paulo, o governo federal não investe um centavo", destacou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.