Alckmin demite chefe de autarquia que apoiou Russomanno

José Penteado e outros 39 funcionários foram dispensados do Instituto de Pesos e Medidas; para deputado, foi 'vingança'

Bruno Boghossian e Fausto Macedo, de O Estado de S.Paulo

07 de fevereiro de 2013 | 02h05

O governo de São Paulo trocou o comando do Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem), sete meses depois que o superintendente do órgão provocou um mal-estar com aliados do governador Geraldo Alckmin (PSDB) ao participar de um ato a favor de Celso Russomanno (PRB) - então candidato à Prefeitura de São Paulo e adversário do tucano José Serra.

José Tadeu Rodrigues Penteado deixou o comando do instituto na semana passada e, três dias depois, outros 39 funcionários que lhe eram subordinados foram dispensados de suas funções.

Penteado é ligado ao deputado estadual Campos Machado (PTB) - que apoiava Russomanno - e ao ex-secretário adjunto de Justiça, Fabiano Marques de Paula, que já havia sido exonerado em novembro de 2012.

Segundo o governo, tanto a demissão de Fabiano Marques quanto a troca de comando do Ipem se devem a critérios técnicos. Campos Machado, no entanto, afirma que o movimento é uma retaliação contra seus aliados.

Em julho de 2012, o então secretário adjunto de Justiça convocou funcionários do Ipem - órgão que ele já comandou - para participar de um encontro com Russomanno. O convite foi feito durante o expediente, mas o evento aconteceu apenas às 19h.

A participação de Marques na reunião foi noticiada pelo jornal Folha de S.Paulo, e teria provocado um desconforto entre o secretário adjunto e sua superior, a secretária Eloisa de Sousa Arruda. Ele foi exonerado do cargo um mês após a eleição municipal.

No último sábado, o governo publicou a dispensa de José Tadeu Penteado da chefia do Ipem. Os 39 funcionários foram dispensados anteontem pelo novo superintendente, Alexandre Modonezi de Andrade.

'Vingança'. O deputado Campos Machado afirma que as demissões são uma "vingança" contra a participação de Fabiano Marques na campanha de Russomanno - que foi derrotado no 1.º turno da eleição. "A Secretaria de Justiça transformou o caso em um foguete atômico, como se a eleição não tivesse terminado", disse. "Esse caso muda minha relação com a secretaria. Vou fiscalizar a pasta com lupa."

A Secretaria de Justiça e Defesa da Cidadania, responsável pela escolha dos superintendentes do Ipem, afirma que a troca do comando do órgão se deveu a uma "insatisfação" com a gestão de Penteado. A pasta alega que não interfere na nomeação ou dispensa dos demais funcionários.

"O Ipem é uma autarquia estadual, dirigida por um superintendente que goza de autonomia administrativa para realizar contratações e demissões de servidores. O novo superintendente já foi diretor do órgão, com experiência na área e sua nomeação decorreu de critério técnico", afirma a secretaria, em nota.

O novo superintendente afirmou que a demissão dos 39 funcionários destinava-se a possibilitar avanços gerenciais. "Tenho uma visão de melhorias para o órgão. Conversei com a secretária, ela concordou com essa visão. Não há nenhuma decisão política. Nem sei se (esses funcionários) têm filiação partidária", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.