Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Alckmin dá posse a secretário condenado por cartão de Natal

Auricchio Júnior, do PTB, assume área de Esportes e governador afirma que seu revés na Justiça é uma 'questão pontual'

BRUNO BOGHOSSIAN, O Estado de S.Paulo

15 de janeiro de 2013 | 02h10

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), classificou como "uma questão pontual" uma condenação de seu novo secretário de Esportes por improbidade administrativa. José Auricchio Júnior (PTB), ex-prefeito de São Caetano do Sul (SP), foi acusado de ter usado recursos públicos para distribuir um cartão de Natal com o objetivo de se promover.

O secretário tomou posse ontem à tarde. Segundo o governo, a condenação de Auricchio não fere a Lei da Ficha Limpa, o que permite sua nomeação.

"Nós checamos com toda a atenção. O procurador-geral do Estado verificou e não tem nenhum problema em relação à chamada Lei da Ficha Limpa. Do ponto de vista legal, não há nenhum problema. Do ponto de vista do conteúdo, é uma questão pontual", disse o governador.

Alckmin afirmou que a distribuição de cartões de Natal por agentes públicos precisa de regras específicas e ponderou que sua administração não envia esse tipo de material.

"Isso depende de regra. Tanto é que, no Brasil inteiro, dirigentes mandam (cartões). São Paulo tem uma regra no Estado: aqui é proibido", declarou.

O ex-prefeito foi condenado, em abril de 2009, a devolver R$ 206 que teriam sido gastos com o envio dos cartões, além de pagar multa equivalente ao dobro do salário que recebia. Um recurso foi negado pelo Tribunal de Justiça, em 2012, mas os advogados do ex-prefeito apresentaram uma nova apelação.

O novo secretário de Esportes nega uso de dinheiro público. "O governador foi sintético. É uma condenação que ainda não tem transito em julgado. O valor é de R$ 206, que também não foram custeados pelo erário. Não (feri) nenhuma prerrogativa da Lei da Ficha Limpa: há ausência de dolo, de lesão ao erário e de enriquecimento", disse o ex-prefeito.

PTB e ABC. A posse de Auricchio lotou o Salão dos Despachos do Palácio dos Bandeirantes. Entre os presentes estavam prefeitos, secretários e parlamentares convocados pelo presidente do PTB paulista, o deputado estadual Campos Machado, responsável por sua indicação para o cargo.

O partido e seu presidente são alguns dos principais aliados de Alckmin e prováveis apoiadores de sua reeleição, em 2014. Campos, porém, cobra do governo do Estado uma participação maior ao PTB em seu secretariado.

Durante a cerimônia de posse, coube ao presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Barros Munhoz (PSDB), fazer uma homenagem ao partido do novo secretário de Esportes.

"Quero dizer da alegria de receber aquele que sintetiza o amor ao parlamento. Essa é uma das posses mais concorridas que já vi. Isso se deve também à grande capacidade de aglutinação do Campos Machado", disse o Munhoz.

A nomeação de Auricchio é vista por aliados de Alckmin como uma tentativa de criar um palanque para sua reeleição na região do ABC, onde o governador perdeu espaço e o PT se fortaleceu na última eleição. Alckmin nega que a indicação do novo secretário tenha motivação política.

Prefeitos petistas da região, como Luiz Marinho (São Bernardo do Campo) e Carlos Grana (Santo André), estavam presentes no evento. Também participaram da pose os ex-governadores Paulo Maluf (PP) e José Serra (PSDB).

Alckmin pretende realizar outras mudanças em seu secretariado para reestruturar o governo, com vistas a sua reeleição. São esperadas alterações nos comandos das pastas de Desenvolvimento Metropolitano, Desenvolvimento Econômico, Turismo, Agricultura e Justiça. O governo também negocia ceder espaço ao PR, em troca de apoio em 2014.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.