Alckmin cria gabinete de aceleração de obras

Ex-coordenador de campanha de governador tucano vai controlar e divulgar projetos oficiais

Bruno Boghossian, O Estado de S.Paulo

22 de janeiro de 2013 | 02h04

SÃO PAULO - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), criou um novo gabinete com status de secretaria para monitorar e divulgar os projetos estratégicos de sua gestão. O tucano pretende acelerar obras e realizações de seu mandato para fortalecer sua corrida pela reeleição, em 2014.

Alckmin nomeou para a Assessoria Especial de Assuntos Estratégicos o coordenador do programa de governo de sua campanha presidencial de 2006, João Carlos Meirelles. Apesar de manter oficialmente o cargo de assessor especial, ele terá "prerrogativas de secretário", comandará uma equipe própria e responderá diretamente ao governador.

A nova assessoria especial terá uma estrutura responsável pelo acompanhamento de obras, por ações de comunicação e pela elaboração da agenda de eventos e viagens do governador.

O gabinete também vai coordenar "as atividades e os trabalhos essenciais à execução do Plano de Governo", além de produzir informações para discursos do governador. Também coletará dados para as ações de publicidade do governo do Estado.

A pasta absorve a assessoria técnica e a assessoria jurídica do governo - responsáveis por nomeações, exonerações, análise técnica de projetos, avaliação de leis aprovadas pela Assembleia Legislativa e elaboração de projetos de lei. Essas estruturas deixam de estar subordinadas diretamente à Secretaria da Casa Civil.

Aceleração. A criação da nova pasta acompanha a tentativa de Alckmin de acelerar a execução de projetos do governo paulista e divulgar as realizações de sua gestão. A assessoria especial deve criar uma estratégia para levar o governador e seus secretários a eventos que marquem o início de obras públicas e a inauguração de projetos já concluídos.

O núcleo político do Palácio dos Bandeirantes tem demonstrado preocupação com a falta de "marcas" fortes na administração tucana. Nas últimas semanas, o governador chegou a cobrar de seus secretários uma ação de comunicação mais eficaz sobre as ações de seu mandato.

O governo enfrenta atrasos em projetos que deveriam ser apresentados como vitrines de Alckmin na campanha à reeleição. O governador admitiu que o trecho Norte do Rodoanel, que deveria estar pronto em 2014, só deve ser concluído em 2016.

Publicidade. Entre outras atribuições do gabinete está a elaboração de relatórios que serão consultados por Alckmin e seus secretários antes de inaugurações e visitas a municípios do interior. A assessoria também deve "manter informações organizadas de maneira a auxiliar o governo do Estado em suas ações de divulgação e publicidade".

O decreto que criou a assessoria foi publicado no Diário Oficial do Estado no último sábado. Parte das ações era realizada por outros assessores especiais do governador, mas Alckmin decidiu dar status de secretário a Meirelles.

O novo assessor estratégico atuou como conselheiro de Alckmin na campanha à Presidência de 2006, quando foi derrotado por Luiz Inácio Lula da Silva. À época, citava como exemplo de gestor o ex-presidente Juscelino Kubitschek, que usou a aceleração do desenvolvimento do Brasil como marca de sua gestão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.