Alckmin classifica como 'falta de respeito' uso de seca por Dilma

Candidata do PT à Presidência da República utilizou a falta de água em São Paulo para criticar gestão do PSDB

Vera Rosa, O Estado de S. Paulo

25 de outubro de 2014 | 00h00

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou nesta sexta-feira que a presidente Dilma Rousseff foi "injusta e desrespeitosa" com o Estado ao usar a crise no abastecimento de água para criticar a falta de planejamento em gestões do PSDB. "Ela fez uma crítica oportunista", comentou o governador, no intervalo do debate da TV Globo entre os candidatos à Presidência. "Vivemos a maior seca dos últimos 84 anos e estamos enfrentando a situação com obras e planejamento. Querer tirar proveito político disso agora é uma falta de respeito com São Paulo", insistiu.

Questionado sobre o teor de uma conversa da presidente da Sabesp, Dilma Pena, com o Conselho de Administração da empresa, na qual ela diz que "é um erro" não alertar a população sobre a gravidade do problema da falta de água, Alckmin minimizou o fato. "Aquilo era uma conversa interna, de diretores. Isso é bobagem", respondeu. A reportagem obteve o áudio da conversa de Dilma Pena, divulgado nesta sexta-feira no Portal do Estadão. A reunião em que ela fala que a Sabesp não está mais na mídia por ordens "superiores" ocorreu em agosto, a dois meses da eleição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.