Andre Penner/AP Photo
Andre Penner/AP Photo

Alckmin 'abre' colégio eleitoral, mas não revela em quem votou

Candidato derrotado à Presidência destaca papel das redes sociais nas eleições deste ano

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

28 de outubro de 2018 | 08h43

O ex-governador e candidato derrotado à Presidência Geraldo Alckmin, presidente nacional do PSBD, chegou às 8h em ponto deste domingo no Colégio Santo Américo, seu local de votação no Morumbi, zona sul de São Paulo, e saiu sem responder em quem havia votado. Alckmin preferiu destacar a democracia em sua fala aos jornalistas.

"Todo poder emana do povo e em nome dele deve ser exercido. Hoje quem fala é o eleitor, e nós devemos ouvir", disse o candidato, que destacou que a democracia foi exercida "com o protagonismo de todos, através das redes sociais" e voltou a agradecer pelos votos obtidos no primeiro turno.

A fala foi em resposta à pergunta sobre em quem ele havia votado. Após insistência dos jornalistas no tema, ele desconversou, dizendo que estava de motorista novo, apontando para sua mulher, dona Lu Alckmin.

Dentro do colégio, brincando com os jornalistas, Alckmin comentou que não avisou em qual horário votaria para evitar a imprensa, mas que não havia adiantado.

O tucano vê seu afilhado político, João Doria (PSDB), que ajudou a ser eleito prefeito, mas que agora insinua ser um "traidor", disputar o segundo turno para governador contra seu ex-vice governador, Márcio França (PSB). Perguntado se havia dado um "voto de solidariedade" a alguém, em referência à fala de Doria no primeiro turno, que daria um voto de solidariedade a ele, Alckmin apenas riu e não respondeu. Dirigiu-se ao carro guiado por dona Lu e se despediu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.