'Ajuda a gente a chegar ao 2º turno', pede Alckmin a eleitores

Tucano conta com virada a cinco dias das eleições; ele aparece tecnicamente empatado com Kassab em 2º lugar

Carolina Freitas, da Agência Estado,

30 de setembro de 2008 | 11h24

A cinco dias das eleições, o candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, Geraldo Alckmin, recorreu nesta terça-feira, 30, diretamente aos eleitores para tentar chegar ao segundo turno. "Ajuda a gente a chegar ao segundo turno", pediu a eleitores bem cedo, em visita à Ceagesp, na Vila Leopoldina, zona oeste da cidade. Alguns eleitores, no entanto, ignoraram a solicitação. Uma mulher que trabalhava nos armazéns gritou o nome do tucano, ganhou um aceno do candidato para, em seguida, gritar: "Vou votar na Marta".     Veja também: Contra Marta, PSDB admite apoiar Kassab no 2º turno     Alckmin e Kassab polarizam debate por 2º turno com Marta Blog: Leia os principais pontos do debate na Rede Record  Galeria de fotos dos candidatos no debate  Ibope: Confira os números da pesquisa  Análise: Marqueteiro aponta polarização na reta final da disputa em São Paulo  Enquete: Quem ganha com a briga dos dois?  Perfil dos candidatos de SP    O tucano ainda conta com uma virada sobre o adversário do DEM, o prefeito Gilberto Kassab. Os dois aparecem tecnicamente empatados na briga por uma vaga no segundo turno ao lado da candidata do PT, Marta Suplicy. Alckmin citou a disputa entre Mário Covas, do PSDB, e Paulo Maluf, do PP, em 1998, que foi definida três dias antes do pleito, e disse perceber nas ruas uma mudança silenciosa em curso.   Após visita à Ceagesp, o candidato voltou a reforçar a idéia de que é mais forte do que Kassab para vencer a adversária do PT, Marta Suplicy, no segundo turno. "A gente consegue ter muito mais empatia com o povão. Nossa condição de conseguir vencer o PT é muito boa", afirmou. "Essa é a semana da mudança silenciosa. Na reta de chegada vamos crescer."   O esforço para parecer tranqüilo era tamanho que Alckmin não se mostrou ofendido nem diante da notícia de que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) reuniu-se na última segunda com líderes do DEM. Na pauta do encontro estaria a aliança dos dois antigos aliados para o segundo turno. Questionado se a atitude de FHC atrapalhava a sua campanha, Alckmin respondeu: "Fico feliz. Vamos chegar ao segundo turno e queremos todo mundo junto para ganharmos do PT".   'Mau gosto'   Apesar do tom mais ameno contra o concorrente do DEM, Alckmin não poupou críticas a uma propagando de TV de Kassab que estreou nesta semana. A inserção é uma paródia da propaganda de Alckmin que mostra de um lado o rosto do tucano, e de outro, o do democrata associando Kassab a Maluf (PP), Celso Pitta e Orestes Quércia (PMDB). A resposta de Kassab veio em um comercial em que acusa Alckmin de ter duas caras e só oferecer apoio quando lhe é conveniente. "Achei de muito mau gosto", comentou Alckmin. "Eu mostrei fatos. A propaganda dele é meramente ofensiva, só para confundir."   O candidato tucano começou sua campanha com uma caminhada às 7h30 pelos pavilhões de flores e frutas da Ceagesp. Para espantar o sono, ao longo do passeio, tomou quatro xícaras de café. Aproveitou a ida à área de flores para comprar, por R$ 40, um vaso de orquídeas brancas para sua secretária. "Hoje é dia da secretária", explicou.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2008Geraldo AlckminPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.