Agradecido, tucano diz que são ‘um só corpo’

Tucano afirma ter propostas semelhantes às de Marina, como o fim da reeleição

José Maria Tomazela, Elizabeth Lopes, ENVIADOS ESPECIAIS/APARECIDA (SP), O Estado de S. Paulo

12 de outubro de 2014 | 21h54

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, recorreu domingo, 12, a uma imagem religiosa ao agradecer, após visita ao Santuário Nacional de Aparecida (SP), a declaração de voto anunciada pouco antes pela terceira colocada na disputa, Marina Silva (PSB). “Recebo o apoio com muita honra e responsabilidade. A partir de agora, somos um só corpo e um só projeto em favor do Brasil e dos brasileiros.”

Na companhia do governador reeleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e do também tucano José Serra, eleito para o Senado, Aécio contou ter sido informado da adesão pela própria Marina, com quem conversou por telefone no sábado. O candidato do PSDB ao Palácio do Planalto negou ter havido exigência para ajuste em seu programa de governo.

“Nossos programas são parecidos. Eu defendo há muito tempo o mandato de cinco anos coincidente e sem reeleição”, disse Aécio. “Era a proposta de Eduardo Campos (candidato do PSB morto em acidente de avião) e é a de Marina.”

O tucano disse não saber se Marina vai subir em palanque ao seu lado. Domingo, a propaganda de Aécio exibiu o discurso da nova aliada na peça exibida à noite na TV. “Temos o apoio e o voto pessoal. Não é hora de fazer mais pedidos”, disse Aécio.

O candidato do PSDB espera ter um encontro com Marina para definir uma agenda comum, pois considera que sua candidatura agora está acima dos partidos. “Não é uma candidatura de um partido ou de uma aliança, mas de todos aqueles que desejam mudança e a volta da decência na política brasileira.”

Aécio também voltou a agradecer o apoio recebido da viúva de Campos, Renata, no sábado. A propaganda tucana também exibiu imagens do ato político em Pernambuco.

Missa. A falta de teto para decolar no Rio de Janeiro impediu que Aécio chegasse a tempo para a missa principal da padroeira. Segundo o bispo auxiliar de Aparecida, d. Darci Nicioli, a presidente Dilma Rousseff também foi convidada, mas declinou – ela esteve em São Paulo.

“Não foi nossa a escolha de ter uma coletiva tucana”, afirmou o bispo, referindo-se à presença de Alckmin, Serra e do presidente da Assembleia Legislativa, Samuel Moreira (PSDB).

Na entrevista, Aécio disse que era católico ao responder a perguntas de jornalistas. Antes de deixar o local, o candidato foi ao santuário e se postou em frente ao nicho com a imagem de Nossa Senhora Aparecida. Ele ergueu as mãos numa invocação e caminhou pelo lado de fora entre o público que lotava o local – cerca de 160 mil pessoas, segundo a organização –, causando alvoroço e algum tumulto. / COLABOROU GERSON MONTEIRO, ESPECIAL PARA O ESTADO

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2014Aécio Neves

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.