Agora MP ataca auxílio-moradia da Assembleia

O Ministério Público pretende enxugar ainda mais o holerite dos deputados paulistas. Após conseguir na Justiça, há duas semanas, a suspensão do chamado "auxílio-paletó", o MP pode agora acabar com o repasse mensal de R$ 2.250 de "auxílio-moradia". A benesse foi incorporada ao contracheque para ser utilizada no pagamento de aluguel e em despesas de estadia dos 94 deputados da Assembleia.

FABIO SERAPIÃO , JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

03 de dezembro de 2011 | 03h03

Entretanto, de acordo com o MP, 33 deputados possuem um ou mais imóveis residenciais registrados em seus nomes na capital paulista e, portanto, não necessitariam receber o auxílio. Para investigar possíveis irregularidades no pagamento, a Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social instalou um inquérito que pode resultar no cancelamento do benefício.

Criado em dezembro de 2002, pelo então deputado Walter Feldman (PSDB), o benefício começou a ser pago no ano seguinte com a justificativa do princípio da equivalência com a Câmara dos Deputados. Na Câmara, para receber a quantia, o deputado precisa apresentar um comprovante de aluguel. Na Assembleia, porém, não há controle sobre esses recursos.

Por meio de nota, a presidência da Assembleia disse que não vai se manifestar, uma vez que ainda não foi notificada pelo MP.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.