Agendas 'casadas' de Dilma serão pagas pelo PT

De acordo com senador petista Humberto Costa, gastos serão assumidos pelo partido quando a presidente participar de eventos eleitorais no mesmo dia de compromissos oficiais

Ricardo Della Coletta, Ricardo Brito e Vera Rosa, O Estado de S. Paulo

08 de julho de 2014 | 13h31

Brasília - O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), afirmou nesta terça-feira, 8, que serão custeadas pelo partido as agendas casadas - quando, no mesmo dia, houver eventos ligados ao governo e à campanha eleitoral - da presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição. Dilma deve realizar os eventos de governo no horário comercial e os de campanha, fora do expediente.

Segundo Costa, a medida visa a "evitar qualquer tipo de colocação de uso da máquina" durante o período eleitoral. Humberto Costa deixou nesta terça o comitê de campanha da presidente, onde ocorre uma reunião com os coordenadores regionais.

De acordo com Costa, na reunião realizada nesta terça foi passada por pelo presidente nacional da legenda, Rui Falcão, uma orientação para que os gastos com a campanha sejam "racionalizados". "Há um entendimento de que não vai ser fácil para ninguém, inclusive para nós. De modo que a demanda é que se use a criatividade e a racionalidade e se procure gastar melhor", afirmou. Ao Tribunal Superior Eleitoral, o PT estimou em R$ 298 milhões o teto de gastos com a campanha presidencial.

O senador foi designado coordenador de Pernambuco e disse que todos os representantes de Estados apresentarão nos próximos dias demandas de agenda com a presença da candidata, do ex-presidente Lula e de Rui Falcão.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesdilma rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.